Belo HorizonteCarnavalFeminismo

Blocos de Belo Horizonte distribuirão adesivos contra assédio

Este é o segundo ano em que o movimento “Não é Não!”,  iniciativa que teve início no Rio de Janeiro com o objetivo de reforçar  o combate ao assédio sexual, chega ao Carnaval de Belo Horizonte.

A  advogada Lívia Maris, uma das integrantes do movimento “Não é Não!” em Minas Gerais, afirmou que o corpo feminino ainda é muito objetificado e o carnaval é um ambiente que proporciona o aumento do assédio. “A gente busca levar o entendimento para o público sobe o que é o assédio e quais medidas tomar”, explicou a advogada.

Lívia ainda reforçou que que os tipos de assédio são diversos, pois o corpo da mulher e também das pessoas LGBTQI ainda é considerado “público”, como se todos pudessem usufruí-los sem consentimento. “É culturalmente aceito que isso aconteça, por isso tantas situações são vividas e presenciadas neste ambiente festivo em que ‘tudo pode’,  mas não é bem assim”. O carnaval precisa ser um ambiente seguro para todas nós, afinal, a palavra ‘não’ é confundida com ‘sim’ ou talvez muitas vezes”, concluiu.

 Como surgiu o movimento “Não é Não!” ?

Com o intuito de combater o assédio durante o Carnaval, um grupo de amigas do Rio de Janeiro organizou uma campanha para distribuir tatuagens temporárias com uma mensagem bem clara  destinada às investidas abusivas.

No vídeo de divulgação da campanha, a estilista Aisha Jacob explicou que a iniciativa surgiu em uma conversa entre amigas sobre um assedio sofrido por uma delas em 2017.

Assista:

O objetivo da campanha em 2019 é expandir a entrega dos adesivos nos estados de São Paulo, Minas Gerais, Bahia e Pernambuco.  Em Minas, o projeto pretende distribuir 10 mil adesivos.

Mais informações sobre  campanha “Não é Não!” podem ser obtidas através do site https://benfeitoria.com/naoenaomg  de financiamento coletivo criado pelo projeto.

Facebook Comments

Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios