Mariana

O município de Mariana é a primeira capital de Minas Gerais. Sua população é estimada em cerca de 60 mil habitantes e tem sua economia baseada no turismo e na mineração. Historicamente, a cidade foi bem conhecida pela exportação de ouro para o Império português no século XVIII. Hoje, a primeira vila e cidade mineira é conhecida por sua riqueza cultural e beleza da arte colonial, sendo até cenário de novelas da televisão.

 
Crédito da foto: Maic Costa/Mais Minas
 

De acordo com a divisão regional vigente desde 2017, instituída pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o município pertence às Regiões Geográficas Intermediária de Belo Horizonte e Imediata de Santa Bárbara à Ouro Preto. A cidade de Mariana está localizada a cerca de 12 km de Ouro Preto, 45 km de Ouro Branco, 60 km de Itabirito, 70 km de Conselheiro Lafaiete, 70 km de Ponte Nova e 75 km de Congonhas. Sua distância em relação à capital Belo Horizonte é de 110 km.

 

Na divisa entre as cidades de Mariana e Ouro Preto, se encontra um dos pontos mais altos do município, o Pico do Itacolomi. O lugar era um ponto de referência para as minas de ouro para os bandeirantes. Graças à visão proporcionada pelo Pico do Itacolomi, o bandeirante Antônio Dias de Oliveira conseguiu localizar o vale do Tripuí, em 1698.

 

Seu relevo conta com uma tipografia de 10% superfície plana, 30% ondulada e 60% montanhosa. O ponto mais alto da cidade se localiza nas bordas da Serra do Caraça, com uma altitude com cerca de 2000 metros. O Rio do Carmo é o principal do município, que separa o centro histórico da parte mais nova da cidade.

 

O município de Mariana conta com 11 distritos, sua sede, Bandeirantes, Cachoeira do Brumado, Camargos, Cláudio Manuel, Furquim, Monsenhor Horta, Padre Viegas, Passagem de Mariana, Santa Rita Durão e Águas Claras. Dentre eles, também são encontrados cachoeiras, igrejas e paisagens naturais. E também, acontecem diversas festividades tradicionais, em maioria, com âmbito religioso.

 

Economia

 

A economia local tem seu cargo chefe com a mineração. Integrando o Quadrilátero Ferrífero, a cidade ficou na 4° posição em arrecadação de royalties pela extração de minério. Também segundo os estudos do IBGE realizados em 2011, cerca de 19% do Produto Interno Bruto (PIB) é feita pelo setor agropecuário, 80% da mineração e 0,3% de prestação de serviços. E ainda, o PIB de Mariana se localiza na 25° colocação nacional, além de ser quinto lugar no estado.

 

Turismo

 

Já no Turismo, Mariana é bem marcada pela arquitetura barroca mineira, tendo o centro com ruas e praças com características ainda do Brasil Colônia. A rua direita, construída em 1753, é conhecida por seus casarões com construções que ainda guardam o modelo colonial de arquitetura, com janelas grandes, sacadas gradeadas e paredes altas. Ao decorrer da rua, encontra-se a Igreja da Sé, onde é visto um órgão construído em 1701, em Hamburgo (Alemanha), por Arp Schnitger (1648-1719), um dos nomes mais respeitados na história da fabricação deste tipo de instrumento em todo o mundo.

 

E ainda sobre os pontos turísticos, um dos pontos mais tradicionais é a Praça Minas Gerais. O local é um dos terrenos mais elevados da cidade; Nela está localizada a sede da Câmara, onde era a antiga cadeia no tempo colonial, além da Igreja São Francisco de Assis e a Igreja Nossa Senhora do Carmo. O espaço fez parte da rota do ouro, já que o descobrimento do mesmo ocorreu logo ali perto no Ribeirão do Carmo. O lugar era estratégico para a fiscalização da Coroa Portuguesa, dominadora do ouro da região.

 
Praça Minas Gerais - Crédito da foto: Mais Minas
 

Outra praça é bastante conhecida na cidade, a Praça Gomes Freire, popularmente chamada de "jardim". O lugar era utilizado para festividades locais e rodeios antigamente. Hoje em dia, sedia shows e também é utilizado para ocupação pública de lazer.

 

Além de todos esses lugares, outra catedral também é bastante reconhecida no município, a Igreja de São Pedro dos Clérigos. O templo, fundado em 1731, sob os auspícios do bispo Dom Manuel da Cruz, conta com um formato extremamente raro no Brasil, com duas elipses entrelaçadas e um módulo retangular na parte posterior, que é ocupado pela sacristia. Essa construção replica a Basílica de São Pedro, no Vaticano.

 
Igreja Sao Pedro dos Clerigos, em Mariana - Crédito da foto: Pedro Vilela/MTur
 

Outro ponto turístico se encontra em passagem de Mariana, que é a Mina da Passagem, maior mina aberta à visitação do mundo. Desde a sua fundação, no início do século XVIII, foram retiradas aproximadamente 35 toneladas de ouro. O percurso tem 315 metros de extensão e chega a 120 metros de profundidade, onde se vê um lago de águas cristalinas.

 

Esporte

 

E no esporte, a cidade de Mariana têm dois times históricos no futebol estadual, o Guarany e o Marianense. O Guarany Futebol Clube mantém seu nome de criação e é tradicional na cidade de Mariana. Foi fundado em 14 de julho de 1925, já com suas cores em verde e branco. Seu estádio chama Emílio Ibrahim, uma homenagem a um engenheiro civil marianense e ex-jogador de futebol que passou pelo Atlético Mineiro e pelo Fluminense do Rio de Janeiro. Emílio foi nomeado “Presidente de Honra” do clube por ter iniciado sua carreira futebolística no alviverde. Apesar de ter sido um bom jogador, preferiu seguir a carreira de engenheiro, participando até das obras do estádio Maracanã.

 

Já o Marianense é o time mais antigo da cidade, com mais de cem anos de história. Foi fundado em junho de 1912 já com as cores vermelho e preto. A comemoração do seu centenário foi em grande estilo na cidade, e contou com a presença da orquestra de baile mais antiga do mundo, a "Casino de Sevilla", criada em 1810 na Espanha.

 

Artes

 

E no âmbito das artes, vários nomes reconhecidos nacionalmente vieram de Mariana. Destacam-se Cláudio Manuel da Costa, que introduziu o Arcadismo no Brasil com o livro Obras Poéticas em 1768, e Fernando Morais, escritor brasileiro com obras de cunho biográficos e de grandes reportagens.

 

Enfim, com muita cultura, esporte, história e lazer, a cidade de Mariana é uma das principais cidades mineiras. Por toda sua beleza, conquista o coração de muitos turistas que a visitam e é motivo de alegria para sua população. A Primaz de Minas, com 323 anos, guarda muita coisa para contar.