20.4 C
Belo Horizonte
segunda-feira, 5 dezembro 2022

Pedro Luiz Teixeira de Camargo
Pedro Luiz Teixeira de Camargo
Pedro Luiz Teixeira de Camargo (Peixe) é Biólogo e Professor, Dr. em Ciências Naturais e Docente do IFMG.

Na terra da liberdade, se respira democracia

O último dia 30 de outubro foi sem dúvida um dos domingos mais emocionantes da vida de todos, da minha inclusive. Ver Bolsonaro ser derrotado mesmo usando todo seu aparato estatal não tem preço. Inclusive, cabe lembrar um fato curioso, afinal de contas se ganhar roubado já é feio, perder roubando é ainda mais vexatório!

Junto com isso temos o orgulho das votações expressivas em nossa região para Lula. Mariana e Ouro Preto colocaram, aproximadamente, 70% de votos no candidato petista, além de Itabirito, onde mais de 50% dos eleitores também teclaram 13 na urna.

A péssima gestão bolsonarista na pandemia é um dos principais fatores que pesou nesta decisão, mas não foi a única. O preço dos alimentos e do gás, com uma inflação só vista antes do plano Real está corroendo o já rebaixado salário dos trabalhadores, deixando muitas famílias passando necessidade.

Campanhas de doação de alimentos, pedintes e moradores de rua era algo que havia diminuído muito em nossa região, mas voltou graças ao golpe dado em Dilma Rousseff em 2016 e que se agravou com inapto Bolsonaro, franco favorito a pior presidente da história do Brasil.

Outro ponto que conta e ajuda muito no debate político é a presença da UFOP (em Mariana e Ouro Preto) e do IFMG, com campus tanto em Ouro Preto como em Itabirito. A presença de jovens estudantes, a vivência dentro das instituições federais e, principalmente, perceber os recursos orçamentários minguando simplesmente por má vontade política do governo federal pesa bastante na hora de votar, ainda mais em locais que parte importante dos moradores tem como fonte de renda exatamente a população flutuante estudantil, seja no aluguel de imóveis ou na prestação direta de serviços.

Quando olhamos o mapa de votação em Minas Gerais, isso é algo que fica muito claro, na maior parte das cidades do interior onde se tem campus universitários consolidados, Lula venceu, afinal de contas foi em seu governo que muitos desses locais, inclusive, passaram a existir com a expansão da rede federal de ensino.

No caso de nossa região, é importante também lembrar da presença significativa de movimentos sociais, como sindicatos, partidos políticos progressistas, coletivos de juventude e associações de bairros, com forte atuação da esquerda, sem dúvida isso é outro fator que tem que ser levado em conta, pois na maior parte das cidades do interior de MG não se percebe tamanha presença e articulação política.

Enfim, somando tudo isso, conseguimos enxergar porque é tão difícil as ideias reacionárias vingarem na região dos Inconfidentes. Pegando o recorte de Ouro Preto, por exemplo, a esquerda vence as eleições presidenciais desde a redemocratização, um fato curioso quando se pensa a nível municipal, onde os mesmos grupos se alternam no poder há mais de 40 anos. 

Será que progresso e retrocesso andam juntos e misturados na cidade patrimônio mundial? Isso é assunto para outro texto, no momento vamos comemorar acabar com famigerado governo que deixou mais de 600 mil morrerem sem necessidade, é para eles essa vitória!

* Esse texto é um artigo de opinião do colunista e pode não representar a posição do portal Mais Minas sobre o assunto.

Você pode gostar também:

RECENTES

Veja também sobre: