O que você procura?


Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item

Pedro Peixe: Referendo da Saneouro já! É hora de ouvir o povo!

Pedro Luiz Teixeira de Camargo 15 de outubro de 2021 às 20:52
Tempo de leitura
3 min
O prefeito Angelo Oswaldo recebeu o relatório da CPI Saneouro em mão - Foto: Sinasefe/Facebook
O prefeito Angelo Oswaldo recebeu o relatório da CPI Saneouro em mão - Foto: Sinasefe/Facebook
Pedro Luiz Teixeira de Camargo (Peixe) é Biólogo e Professor, Dr. em Ciências Naturais e Docente do IFMG.

Finalmente teve fim a CPI da Saneouro, mas, ao contrário do que esperavam alguns, tudo parece estar mais confuso do que nunca, afinal de contas, para que o relatório aprovado na CPI seja cumprido, é preciso vontade política.

Achar que simplesmente por ter tido uma Comissão Parlamentar de Inquérito tudo está resolvido é um grave erro que alguns cometem (ou fingem cometer). Pior do que isso, querem levar os movimentos sociais contrários à privatização da água da cidade a reboque.

Não há dúvidas que é importante um relatório recomendando a anulação da licitação e do contrato com a Saneouro, bem como o indiciamento de seu principal responsável, mas só isso não basta, a pressão precisa seguir e, para alguns (como eu) deve mudar o foco.


Acreditar cegamente nas instituições é algo que a sociedade civil nunca deve fazer, afinal de contas, em um sistema burguês, atende-se aos interesses da burguesia, sendo assim, “o caminho de paciência e espera que o prefeito vai cumprir a sua promessa” não deve mais ser tolerado, é preciso ações mais contundentes.

A palavra de ordem deve mudar, não tem que se dizer somente “Fora Saneouro”, é hora de bradar “Referendo já”. Esse parece ser o melhor caminho a se seguir, já que este é um instrumento em que os eleitores se pronunciam através do voto sobre assuntos de relevante interesse público. Quer assunto de maior interesse que o futuro das águas da cidade?

É importante destacar que para este caso um plebiscito não seria possível, como defendem alguns, pois este é convocado antes da lei entrar em vigor, que não é o nosso caso, por isso o referendo é a melhor proposta.

O caminho para o referendo, infelizmente não é tão simples, mas é palpável, para isso, é preciso que um terço dos vereadores apresente a ideia na Câmara ou se realize um abaixo-assinado com 5% dos eleitores.

A primeira opção seria a mais simples, mas a configuração do legislativo, governista, parece impedir que esta ideia vingue, restando então a segunda opção, mais difícil, mas não impossível.

Para isso, é preciso que os movimentos sociais da cidade abarquem a ideia, criem este abaixo-assinado e levem a cabo esta iniciativa popular, cortando de uma vez por todas o excesso de dependência institucional que parece atravancar as organizações populares ouro-pretanas.

O desafio está lançado, vamos esperar sentados a decisão do executivo, lembrando que integrantes da atual gestão já se pronunciaram a favor da Saneouro, ou faremos com nossas mãos tudo aquilo que nos interessa?

A conferir…

Até a próxima!

* Esse texto é um artigo de opinião do colunista e pode não representar à posição do portal Mais Minas sobre o assunto.

ATENÇÃO: Ao copiar uma matéria do Mais Minas, ou parte dela, não se esqueça de incluir o link para a notícia original.