Flexibilidade: Quando devo realizar alongamentos?

Na prática esportiva, o conceito de flexibilidade e sua aplicabilidade geram algumas confusões nos praticantes. Você já deve ter escutado que alongar antes dos exercícios previne lesão, independente do que você irá treinar. Em outras ocasiões, ao sentir incômodo na coluna, por exemplo, a primeira ação é alongar. Entretanto, precisamos esclarecer alguns pontos para melhorar nossa rotina de exercícios.

A flexibilidade pode ser definida como a maior amplitude de movimento alcançada, por uma articulação isoladamente ou um conjunto delas. O objetivo que se tem ao alongar, é fazer com que a sua musculatura esteja apta para alcançar uma maior extensibilidade, ou seja, que você consiga uma liberdade de movimentos maior e com menos dores ao alongar determinado músculo.

+ Exercício físico pós-quarentena: confira os principais cuidados

O treinamento dessa variável se aplica ao indivíduo que apresente encurtamentos significativos, ou seja, amplitude de movimento abaixo do referido de acordo com a sua idade e gênero. Da mesma forma que os encurtamentos severos, ser muito ‘’maleável’’ ou flexível demais, também pode ser prejudicial ao longo do tempo.

Devemos encarar essa variável da mesma maneira que encaramos a força muscular, ou seja, existem métodos e estratégias para a prescrição de uma sessão de flexibilidade, de acordo com a necessidade de cada um. O alongamento comumente realizado antes da corrida, musculação e outras atividades, geralmente não promove benefícios nem prejuízos, afinal de contas não é algo planejado e prescrito da maneira adequada. Sendo assim, não promove a prevenção nem será causador de lesões musculoesqueléticas. O mais indicado para iniciar determinada sessão de treino é o aquecimento, que falaremos sobre em outra oportunidade.  

+ Corrida: Saiba como começar com segurança

Se você sente um desconforto muscular ao tentar alongar, se sente ‘’travado’’ e com baixa amplitude de movimento, primeiramente procure um Profissional de Educação física ou um Fisioterapeuta habilitado, ele deverá realizar testes que determinem o seu nível de flexibilidade e após isso, prescrever os exercícios de acordo com a necessidade. Em alguns casos, principalmente quando a flexibilidade está em níveis adequados ou excessivos, o trabalho de flexibilidade pode não ser indicado.