Sobras de ontem: o cardápio que é um sucesso atemporal

Sobras de ontem: o cardápio que é um sucesso atemporal
Imagem ilustrativa de Pixabay

Sobretudo nesse período das festas de fim de ano é super comum que haja um aproveitamento dos alimentos servidos em eventos nas refeições dos dias posteriores, as quais têm cardápio popularmente apelidado de “resto de ontem.” Mas como garantir que o consumo desses alimentos seja seguro? 

Entende-se como alimentos seguros aqueles que não apresentam riscos de causar danos à saúde do consumidor.  

O termo “restos” corresponde aos alimentos que foram preparados e ficaram no prato após terem sido servidos aos comensais, ou mesmo os alimentos que não foram servidos, mas que são impróprios para serem consumidos posteriormente porque não foram armazenados em temperaturas seguras e, por isso, podem ter sido contaminados. 

O termo “sobras” se refere aos alimentos que foram preparados, mas não foram servidos aos convidados. Caso tenham sido armazenados em temperaturas seguras, estes alimentos poderão ser consumidos nas refeições posteriores.  

É imprescindível que se tenha cuidado com a temperatura dos alimentos, pois esse é um dos fatores que mais influenciam na proliferação de bactérias, visto que elas necessitam de calor para se multiplicar. Quanto mais próximo à temperatura ambiente, mais rápido as bactérias se desenvolvem.  

Após a cocção, os alimentos preparados devem ser mantidos em temperatura superior a 60ºC por, no máximo, 6 horas e, quando resfriados, devem ser mantidos em temperatura inferior a 5ºC por no máximo 5 dias. Os alimentos preparados que forem mantidos em temperatura abaixo de 60ºC após a cocção devem ser consumidos em até 60 minutos. 

Deve-se lembrar que itens secos e embalados (como pacotes de arroz, feijão e farinhas) podem ser mantidos em temperatura ambiente, em local arejado e longe do sol, enquanto as comidas prontas precisam ser refrigeradas o quanto antes, tendo o cuidado de manter espaço entre os produtos, a fim de que o ar gelado possa circular, garantindo que todos os alimentos fiquem na temperatura recomendada. Importante ainda, frisar que para ter um armazenamento adequado, os alimentos devem ser colocados em recipientes vedados e, preferencialmente, de vidro, visto que o plástico é mais poroso e acaba por reter sabor e odor. 

Para usarmos a nomenclatura correta, deve-se dizer que consumimos as sobras de refeições anteriores e não os restos. Não há problema nisso, desde que seja uma prática feita com segurança e cautela, até porque essa é uma ótima maneira de se evitar desperdícios, enquanto se permite maiores oportunidades de saborear refeições mais elaboradas.  

Deixe um comentário

Franciele Santana

Franciele Aparecida Santana é nutricionista graduada pela Universidade Federal de Ouro Preto e colunista de nutrição e alimentação no Mais Minas.

Contato: francieleapsantana@gmail.com