27.9 C
Belo Horizonte
terça-feira, 16 agosto 2022

Sem você eu não vivo!

Qual seria o nosso combustível para viver?...

Olha a água mineral!

Quem nunca ficou um bom tempo em...

Preciso suplementar vitaminas?

Ao mesmo tempo em que a obesidade...

Água é tudo igual?

Franciele Santana
Franciele Santana
Nutricionista, natural de Ouro Preto/MG, e uma admiradora da arte da escrita, almejo proporcionar saúde compartilhando meus conhecimentos de modo a agregar melhorias na vida do maior número de pessoas possível.

Quando falamos sobre água, geralmente pensamos naquela que sai da torneira das nossas casas e que podemos beber, mas será que água é tudo igual?

A água pode ter diferentes classificações de acordo com suas características, dentre elas a fonte, quantidade de sal dissolvido, etc.

Com relação a quantidade de sal dissolvido as águas podem ser classificadas em:

  • Água salina ou salgada: é a água com salinidade igual ou superior a 30 partes por mil, como é o caso da água do mar. Esse é o tipo de água mais comum no planeta, representando 97,5% do total. Possui uma grande quantidade de sais, como o cloreto de sódio, popularmente conhecido como sal de cozinha, por isso, nessas condições a água não é própria para o consumo. No entanto, em alguns países onde a água doce é muito escassa, ocorre o processo chamado de dessalinização da água do mar, no qual o sal é retirado da água tornando-a apta ao consumo.
  • Água doce: é a água com salinidade igual ou inferior a 0,5 partes por mil. O termo “doce” se refere à ausência ou baixa concentração de sal. É a água encontrada em rios e lagos, sendo apropriada para o consumo humano, precisando, em geral, passar por um processo de tratamento. Apenas cerca de 2% da água encontrada em nosso planeta é doce.
  • Água salobra: é a água com salinidade superior a 0,5 partes por mil e inferior a 30 partes por mil, tem aparência turva e possui grande quantidade de substâncias dissolvidas. Pode ser facilmente encontrada nas regiões dos mangues, porém é imprópria para o consumo pelo ser humano.

Conforme a fonte em que se encontram as águas, elas podem ser classificadas em:

  • Águas superficiais: como o próprio nome diz, são aquelas que se acumulam na superfície; sendo encontradas em rios, riachos, lagos, pântanos, mares etc. Por não penetrarem no solo e o acesso a elas ser mais fácil, são, atualmente, a principal fonte de abastecimento do planeta.
  • Águas subterrâneas: são aquelas que ocorrem naturalmente ou artificialmente no subsolo,representando uma importante parcela da água doce existente no planeta, estando presentes, principalmente, nos aquíferos.

Quando a água, sendo ela doce, salgada, salobra, superficial ou subterrânea, possui substâncias que alteram suas características físicas e químicas, dizemos que ela está poluída. Quando, além dessas alterações, ela apresenta organismos patogênicos ou substâncias tóxicas que podem provocar doenças, dizemos que a água está contaminada.

A água para estar apta ao consumo deve ser  “potável”, ou seja, deve ser incolor (completamente transparente), inodora (sem cheiro), insípida (sem sabor), ser livre da presença de micro-organismos patogênicos e conter determinados sais minerais naturais. Sendo assim, para que possa ser consumida, a água doce deve passar por um sistema de tratamento onde as partículas impróprias para o consumo são retiradas e produtos químicos são adicionados com o objetivo de eliminar os micro-organismos patogênicos.

Uma ingestão hídrica adequada é fundamental para a nossa saúde, por isso, é de extrema importância que cuidemos das nossas fontes naturais de água, prezando pelo consumo consciente, a fim de preservar esse recurso essencial e garantir acesso contínuo a esse bem precioso e finito.

* Esse texto é um artigo de opinião do colunista e pode não representar a posição do portal Mais Minas sobre o assunto.

Você pode gostar também:

RECENTES

Veja também sobre: