O que você procura?

As boas e velhas tradições de Ano Novo

Um dos alimentos mais comuns na passagem de ano é a uva. O costume de se comer uvas na virada de ano surgiu na Espanha, quando os espanhóis comiam 12 unidades delas assim que o relógio marcava meia noite.
Franciele Santana 29 de dezembro de 2021 às 10:27
Tempo de leitura
3 min

A celebração da chegada de um novo ano existe há milhares de anos, antes mesmo da existência do calendário que seguimos hoje. Nos tempos remotos contava-se a passagem do tempo por meio das estações do ano.

Os primeiros povos a celebrar a festa de passagem de ano teria sido o da Mesopotâmia, que devido ao fato de dependerem da agricultura para sobreviver, eles celebravam o fim do inverno e início da primavera, quando se iniciava uma nova safra de plantação. No entanto, a festa de passagem dos mesopotâmicos se dava na noite do dia 22 para o 23 de março, que era a data do início da primavera no Hemisfério Norte. Foi somente após a introdução do calendário gregoriano no Ocidente que o primeiro dia do novo ano passou a ser 1º de janeiro.


As comemorações de Ano Novo sempre representaram esperança. Se antes os rituais visavam pedir por alimento e fartura, atualmente buscam atrair prosperidade e dinheiro. Existem muitas práticas realizadas na passagem de ano com esse objetivo, dentre elas alguns hábitos de alimentação têm presença confirmada.

Um dos alimentos mais comuns na passagem de ano é a uva. O costume de se comer uvas na virada de ano surgiu na Espanha, quando os espanhóis comiam 12 unidades delas assim que o relógio marcava meia noite. Existe ainda a crença de que cada uva simbolize um mês de sorte no novo ano, e que o gosto delas define como serão os meses: doces, azedos ou amargos.

O consumo de oleaginosas e frutas secas (nozes, avelãs, castanhas, tâmaras, etc.) é um costume trazido pelos imigrantes árabes. Devido ao fato destes serem alimentos que podem ser estocados, eles possuem o simbolismo de mesa farta, e consumi-los serve como garantia de que não faltará comida ao longo do ano.

A lentilha também é consumida em diversos países com a intenção de garantir fartura e prosperidade. Esta superstição é proveniente da Itália, onde existe um ditado popular que diz: “Lentilha no Ano-Novo, dinheiro o ano todo” (“Lenticchie a capod´anno franchi tutto l´anno”). Há quem acredite que a associação da lentilha com prosperidade financeira se deve ao fato do formato do grão se assemelhar a uma moeda.

A romã é uma fruta presente em diferentes tradições de ano novo. A romã, por possuir diversas sementes representa prosperidade e fartura; além disso sua cor avermelhada para muitos significa amor.

Já as carnes de aves são associadas a retrocessos e atraso de vida, pelo simples fato de que esses animais ciscam pra trás. Por isso, o consumo de peixes passou a ser uma alternativa adotada para o cardápio, além da carne de porco que é a mais cotada, visto que para os supersticiosos, o porco remete a prosperidade uma vez que está sempre andando e fuçando para frente.

Independente de costumes e crenças, que possamos ter prosperidade nesse ano que se inicia e que a fartura não seja apenas de dinheiro, mas também de saúde e bons hábitos. E que muito além de superstições façamos a nossa parte de buscar sempre o melhor.

* Esse texto é um artigo de opinião do colunista e pode não representar à posição do portal Mais Minas sobre o assunto.

ATENÇÃO: Ao copiar uma matéria do Mais Minas, ou parte dela, não se esqueça de incluir o link para a notícia original.