18.4 C
Belo Horizonte
terça-feira, 31 janeiro 2023

Franciele Santana
Franciele Santana
Nutricionista, natural de Ouro Preto/MG, e uma admiradora da arte da escrita, almejo proporcionar saúde compartilhando meus conhecimentos de modo a agregar melhorias na vida do maior número de pessoas possível.

Brasil no Qatar: Nunca será só futebol

Com o início da Copa do mundo, o Qatar e todas as suas tradições entraram em evidência, por ser esse o país sede. Sendo o Qatar um país predominantemente muçulmano, sabe-se que sua gastronomia é diferenciada, principalmente no que se refere às carnes.

Os muçulmanos só comem carnes consideradas Halal, sendo elas de frango ou bovinos; já os peixes são considerados Halal por natureza, devido ao fato de saírem vivos da água, enquanto os suínos são considerados impuros pelo modo como se alimentam e por estarem ligados a ambientes de sujeira, tendo, portanto, seu consumo proibido.

O termo halal significa aquilo que é lícito, tudo o que é permitido aos muçulmanos, e não se refere somente aos alimentos, como também hábitos do dia a dia, na rotina de trabalho.

Para que a carne seja considerada halal, algumas regras devem ser seguidas no abate: No caso do islamismo, o animal precisa estar saudável na hora do abate, sendo que o procedimento deve ser feito por um muçulmano, que deve degolar o animal voltado para Meca, cortando jugular, traquéia e esôfago. A causa da morte deve ser exclusivamente a degola, onde se esvai a maior quantidade de sangue possível, além disso, o animal deve ser tratado de forma humanitária e respeitosa. A faca utilizada precisa estar bem afiada para que a morte seja instantânea, evitando o sofrimento e permitindo que saia a maior quantidade de sangue possível.

Antes do abate de cada bicho, o degolador deve pedir autorização a Deus, em árabe, como forma de mostrar obediência e agradecer pela comida e reafirmar que não está matando o animal por crueldade ou sadismo. Para garantir que o procedimento foi realizado de maneira correta existem entidades certificadoras que acompanham o passo a passo na indústria e abatedouros, realizando laudos técnicos que atestam que nenhum produto proibido foi utilizado na produção do alimento halal. 

O Brasil é o maior país exportador de proteínas halal do mundo, e seus produtos têm uma presença expressiva em países de maioria muçulmana; além de atender os consumidores desta religião, os produtos halal também são destinados a países não muçulmanos por atenderem padrões rigorosos de sanidade e rastreabilidade. O Qatar é o quarto maior importador de frango halal do Brasil.

O Brasil já tem uma história nos países muçulmanos bem antes da copa do mundo de 2022, o que nos mostra que não somos apenas o país do futebol, mas temos muito mais pra mostrar para o mundo e servir de referência positiva.

* Esse texto é um artigo de opinião do colunista e pode não representar a posição do portal Mais Minas sobre o assunto.

Você pode gostar também:

RECENTES

Veja também sobre: