24.4 C
Belo Horizonte
quarta-feira, 17 agosto 2022

Sem você eu não vivo!

Qual seria o nosso combustível para viver?...

Olha a água mineral!

Quem nunca ficou um bom tempo em...

Água é tudo igual?

Quando falamos sobre água, geralmente pensamos naquela...

Como se sair bem na feira

Franciele Santana
Franciele Santana
Nutricionista, natural de Ouro Preto/MG, e uma admiradora da arte da escrita, almejo proporcionar saúde compartilhando meus conhecimentos de modo a agregar melhorias na vida do maior número de pessoas possível.

Muito se fala sobre a importância de uma alimentação variada e rica em frutas, verduras e legumes; mas é aí que surge a dúvida de como fazer a aquisição desses alimentos, dentre tantas opções existentes nas bancadas das feiras e mercados. É preciso saber minimamente algumas técnicas para escolher os melhores produtos e com isso evitar o desperdício de alimentos e de dinheiro.

Para escolher os melhores alimentos na feira é preciso estar atento aos nossos sentidos. O tato, o olfato e a visão são fundamentais para identificar a qualidade do produto. Primeiramente, preste atenção à cor e ao odor dos produtos e caso perceba qualquer sinal de alteração, não compre. Analise, ainda, se há amassados, rachaduras, manchas ou furos.

Dê preferência às frutas, legumes e verduras da estação, pois são mais frescos e contêm menos agrotóxicos (além de serem mais baratos). Deixe a preguiça de lado e evite comprar frutas e legumes descascados, uma vez que não se sabe se estes foram bem higienizados.

Ao comprar frutas em caixas, como uvas e morangos, lembre-se de analisar com atenção os itens que ficam por baixo, para certificar-se de que estão em bom estado de conservação.

Além dessas dicas gerais, é interessante que se saiba alguns macetes para a escolha de alimentos específicos, conforme as peculiaridades de cada um, por exemplo:

  • Cebola e alho: O principal é verificar se a textura está lisa e firme. Se a casca apresentar furinhos e o miolo parecer murcho, o produto não está adequado.
  • Legumes: Além da textura lisa, certifique-se de que eles estão resistentes ao toque.
  • Berinjela: Veja se a casca está fina, lisa e brilhante. As folhas na ponta devem estar verdes e grudadas à casca.
  • Batata: Atente o olhar para as manchinhas pretas que possam estar presentes, pois são brotos que crescem no alimento que está velho.
  • Mandioca: Basta verificar se a casca se solta com facilidade; se isso acontecer e o interior dela estiver com coloração branca e sem manchas, significa que está boa para o consumo.
  • Verduras: Verifique se as folhas estão com cores vivas, sem furos, folhas queimadas, amareladas ou amolecidas.
  • Brócolis e couve flor: Ambos devem estar firmes e sem manchas amareladas. Prefira aqueles com as flores bem fechadas, folhas frescas e os talos mais firmes.
  • Milho verde: Prefira espigas com a palha verde e macia, grãos grandes e brilhantes.
  • Abacaxi: Tire uma das folhas da coroa da fruta; se o abacaxi estiver no ponto a folha sairá facilmente.
  • Banana: Prefira as frutas menores e mais gordinhas, pois é indicativo de ter mais nutrientes e um melhor sabor.
  • Frutas cítricas: No caso de frutas como laranja e limão, verifique se a casca está lisa e brilhante, pois isso é sinal de que possui mais suco. Confira também se elas estão macias ao toque.
  • Maçã: Quanto mais vermelha a maçã, mais doce ela está. Prefira as mais pesadas e sem machucados.
  • Mamão: Veja se a casca da fruta está bem firme, se não tem machucados, rachaduras e nem manchas brancas de fungo. Prefira aqueles com casca amarelada.
  • Maracujá: Quanto mais pesado, mais polpa tem a fruta. No caso do maracujá azedo, a casca enrugada é sinal de que a fruta está madura; já no caso do maracujá doce, a casca deve estar lisa e brilhante.
  • Melancia e melão: Verifique se a casca está firme, brilhante e sem manchas escuras. Para saber se estão no ponto, basta bater com o nó do dedo na casca; se ouvir um som abafado significa que estão prontas para o consumo.

A correria do dia a dia dificulta cada vez mais a disponibilidade de tempo para se fazer as compras de hortifruti, além disso, com o constante aumento dos preços, é de extrema importância que se possa economizar tanto em tempo quanto em dinheiro, portanto aprender a escolher os melhores produtos é uma forma eficaz de se acelerar o tempo gasto nas compras no mercado e evitar desperdício de alimentos e, assim, consequentemente também poupar dinheiro.

* Esse texto é um artigo de opinião do colunista e pode não representar a posição do portal Mais Minas sobre o assunto.

Você pode gostar também:

RECENTES

Veja também sobre: