21.4 C
Belo Horizonte
segunda-feira, 6 fevereiro 2023

Franciele Santana
Franciele Santana
Nutricionista, natural de Ouro Preto/MG, e uma admiradora da arte da escrita, almejo proporcionar saúde compartilhando meus conhecimentos de modo a agregar melhorias na vida do maior número de pessoas possível.

Faz sentido cortar carboidratos?

Inicia-se um novo ano e com ele muitas pessoas, a fim de recuperar o prejuízo da alimentação desregrada, típica das festas de fim de ano, procuram por uma forma rápida para perder peso, muitas vezes optando por cortar os carboidratos da sua alimentação.

- Participe da comunidade do Mais Minas no WhatsApp e seja o primeiro a ser informado de novas notícias. CLIQUE AQUI PARA ENTRAR.


Eliminar os carboidratos da alimentação pode acarretar vários efeitos colaterais desagradáveis, visto que a principal função dos carboidratos é a função energética. Entre as consequências relacionadas a essa prática estão tonturas, indisposição, riscos cardíacos, cãibras musculares e mau hálito.

O problema não é simplesmente consumir carboidratos, mas a qualidade do que se consome, visto que os carboidratos podem ser classificados em simples e complexos.

Os carboidratos simples (Exemplo: mel, rapadura, balas e doces em geral) são facilmente absorvidos pelo nosso corpo, gerando um pico de glicemia, desse modo, demandam mais cuidado, pois a alta liberação e a não utilização da energia faz com que o alimento ingerido vire reserva de gordura no corpo. Já os carboidratos complexos (Exemplo: pães, massas, lentilha e feijões) possuem baixo índice glicêmico, sendo opções ricas em fibras e nutrientes, o que torna o processo de absorção mais demorado. Esse grupo de carboidratos não libera picos de glicose no sangue, o que proporciona mais disposição e sensação de saciedade do que ao ingerir um carboidrato simples. Além disso, por não causar reserva de gordura, os carboidratos complexos não vão aumentar o risco de diabetes e problemas cardíacos, pois a insulina no sangue estará regulada.

O que realmente causa o ganho de peso é o superávit calórico, ou seja, consumir mais calorias do que se gasta. Nenhum alimento por si só tem poder de engordar, seja alimentos ricos em gorduras, carboidratos ou proteínas, depende de um conjunto de práticas. Desse modo, sobretudo para quem pratica atividade física, não se recomenda cortar carboidratos da dieta, pois para treinar é necessário energia e o carboidrato ao ser convertido em glicose se transforma na energia que será consumida no treino, tanto para perder gordura, como para ganhar massa magra.

Portanto, para alcançar a sua meta proposta para 2023 é importante levar em consideração a sua saúde e o que funciona para você e seu corpo. O emagrecimento saudável envolve um plano alimentar equilibrado, composto por carboidratos, proteínas e gorduras, ingestão adequada de água, além uma boa qualidade de sono e prática regular de exercício físico, entre outras atividades de lazer e bem-estar.

Que tal mudar a mentalidade nesse novo ano e não focar tanto na perda de peso, mas sim na qualidade de vida?

* Esse texto é um artigo de opinião do colunista e pode não representar a posição do portal Mais Minas sobre o assunto.

Você pode gostar também:

RECENTES

Veja também sobre: