O que você procura?

Vegetarianismo flexível

Os flexitarianos consomem produtos de origem animal, portanto, eles não podem ser considerados vegetarianos ou veganos, no entanto, esse pode ser um primeiro passo para a evolução para esse estilo de vida.

Franciele Santana 11 de agosto de 2021 às 09:40
Tempo de leitura
2 min
Foto: Biblioteca de Imagens do Canva

Quando se fala em vegetarianismo automaticamente se pensa em restrições radicais, visto que os vegetarianos eliminam da alimentação a carne e, às vezes, outros alimentos de origem animal, enquanto os veganos restringem completamente a carne, peixes, ovos, laticínios, bem como todos os produtos derivados de animais, como itens de vestuário, ou que foram cruelmente testados em animais, como shampoos, remédios, cremes e outros cosméticos.

Paralelo ao vegetarianismo e veganismo surgiu o flexitarianismo, que consiste em um estilo de vida que incentiva a diminuição do consumo de produtos de origem animal, dando preferência para os vegetais preparados de forma saudável, com o objetivo de proporcionar benefícios para a saúde e ao meio ambiente. O termo flexitarianismo deriva-se da combinação das palavras flexível e vegetariana.

Os flexitarianos consomem produtos de origem animal, portanto, eles não podem ser considerados vegetarianos ou veganos, no entanto, esse pode ser um primeiro passo para a evolução para esse estilo de vida. Entre os princípios que norteiam o flexitarianismo podemos citar: comer principalmente frutas, verduras, legumes e grãos integrais, preferir as proteínas vegetais em vez das de origem animal, evitar consumir alimentos de origem animal todos os dias e limitar doces e a adição de açúcar

Algumas pessoas podem consumir menos produtos de origem animal do que outras, visto que em suma o objetivo é comer mais alimentos vegetais nutritivos e menos carne.

O adepto do estilo flexitariano ou semivegetariano na maior parte do tempo segue a dieta vegetariana, mas, ocasionalmente, consome algum tipo de carne, seguindo práticas vegetarianas flexíveis como, por exemplo, a adoção do “Segunda sem Carne” (que como o próprio nome já diz, consiste em não consumir nenhum tipo de carne às segundas feiras), ou parando de comer apenas um tipo de carne. O objetivo principal do flexitarianismo é a preservação do meio ambiente e do bem-estar dos animais, ao passo que cuida da própria saúde.

Se você, por alguma razão, tem um propósito de mudar de hábitos alimentares, reduzindo o consumo de produtos de origem animal, o flexitarianismo pode ser um importante pontapé inicial para alcançar o seu objetivo, portanto vale a pena aderir.

* Esse texto é um artigo de opinião do colunista e pode não representar à posição do portal Mais Minas sobre o assunto.

Última atualização em 10 de setembro de 2021 às 09:48