Entenda a confusão: mesmo sem horário de verão, muitos celulares adiantaram a hora

Na manhã deste domingo (20), um dos assuntos mais comentados do Twitter foi a confusão causada pelo suposto horário de verão que adiantou o relógio de alguns usuários. Apesar do horário de verão ter sido revogado pelo presidente Jair Bolsonaro, a população foi surpreendida nesta manhã pela atualização errada dos celulares e outros dispositivos.

O horário de verão, que tinha início no terceiro final de semana de outubro, foi cancelado por um decreto do presidente Jair Bolsonaro que suspendeu a medida para economia de energia.

O problema entre os usuários já era previsto. Assim, o google publicou um anúncio oficial recomendando que os usuários do Android no Brasil alterassem as configurações automáticas de data e hora em seus dispositivos.

Como desabilitar a configuração automática no Android:

  1. Entre no menu de configurações;
  2. Entre na opção “Sistema” (segundo o Google, dependendo do aparelho este passo pode ser pulado);
  3. Escolha as opções de “Data e Hora”;
  4. Desativa as funções “Data e hora automáticas” e “Fuso horário automático”.

Quantas horas?

A confusão repercutiu nas redes sociais de forma que o termo “Quantas horas” tivesse mais de 5 mil pesquisas neste domingo, além do assunto estar em primeiro lugar nos Trending Topics do twitter. Além disso, alguns usuários afirmaram terem se atrasado para compromissos e também causado confusões sobre eventos posteriores. Veja a reação dos internautas durante a confusão de horário:

Efetividade do horário de verão

Com o objetivo de aproveitar os dias mais longos e poupar energia elétrica, o horário de verão foi criado em 1932. A mudança busca poupar recursos da matriz energética, reduzindo riscos de apagões entre o horário de 18h às 21h, quando o número de lâmpadas em espaço público são mais utilizadas, além da maioria das pessoas chegarem em casa e consumirem mais energia elétrica durante este espaço de tempo.

Entretanto, a medida para economia de energia vem perdendo sua efetividade. Nos últimos anos, o padrão de consumo no país mudou. Lâmpadas incandescentes foram substituídas por lâmpadas mais eficientes e o horário de pico de energia se deslocou do início da noite para o meio da tarde, por volta das 15h.

Diante dessas mudanças, o horário de verão veio perdendo sentido, sendo possível ser substituído por outros instrumentos regulatórios, como a tarifa branca e o preço por horário.