O riso pode ser um remédio eficaz para estes tempos difíceis

Alguns médicos, enfermeiras e terapeutas esclarecidos têm uma receita para nos ajudar a superar essa pandemia aparentemente sem fim: tente rir um pouco.

O humor não é apenas uma distração da dura realidade da crise, disse o Dr. Michael Miller, cardiologista da Escola de Medicina da Universidade de Maryland, em Baltimore. É uma estratégia vencedora para permanecer saudável em face disso.

“O aumento do estresse aumenta o risco de eventos cardiovasculares, incluindo ataques cardíacos e derrames”, disse Miller. “Ter um bom senso de humor é uma excelente maneira de aliviar o estresse e a ansiedade e trazer de volta o senso de normalidade durante esses tempos turbulentos.”

O riso libera óxido nítrico, uma substância química que relaxa os vasos sanguíneos, reduz a pressão sanguínea e diminui a coagulação, disse Miller. Um estudo epidemiológico com homens e mulheres mais velhos no Japão confirmou que aqueles que tendem a rir mais têm um risco menor de doenças cardiovasculares graves. Possuir um senso de humor saudável também está associado a uma vida mais longa, relatou um estudo epidemiológico da Noruega, embora a correlação pareça ser mais forte para as mulheres do que para os homens.

Armado com esse crescente corpo de pesquisas, o Dr. Miller prescreve “uma boa gargalhada por dia” para seus pacientes. Não se trata apenas de “rá, rá”, explicou ele, mas de uma “risada fisiológica profunda que provoca lágrimas de alegria e relaxamento”.

Embora os impactos de longo prazo de tal prática permaneçam desconhecidos, Sophie Scott, neurocientista da University College London, disse que o riso também reduziu os hormônios do estresse cortisol e adrenalina e aumenta a captação de endorfinas de bem-estar pelo corpo.

Também parece haver benefícios cognitivos. Assistir a um vídeo engraçado estava relacionado a melhorias na memória de curto prazo em adultos mais velhos e aumentou sua capacidade de aprender, descobriu uma pesquisa conduzida pelo Dr. Gurinder Singh Bains, da Universidade de Loma Linda.

Talvez o mais relevante hoje seja o fato de possuir senso de humor também ajudar as pessoas a se manterem resilientes diante de circunstâncias adversas, disse George Bonanno, professor de psicologia clínica da Universidade de Columbia.

Em um estudo, o Dr. Bonanno entrevistou mulheres jovens que haviam sido abusadas sexualmente e observou suas expressões faciais. “Aqueles que conseguiram rir ou sorrir em alguns momentos durante a entrevista tinham maior probabilidade de estar melhor dois anos depois do que aqueles que não conseguiram”, disse ele. “O humor mantém as emoções negativas sob controle e nos dá uma perspectiva diferente, permitindo-nos ver algumas das coisas ruins que nos acontecem como um desafio, em vez de uma ameaça.”

Humor e tragédia podem estar mais intimamente ligados do que se poderia pensar.

“Charlie Chaplin disse uma vez: ‘Para rir de verdade, você precisa ser capaz de lidar com sua dor e brincar com ela’”, disse Paul Osincup, presidente da Associação de Humor Aplicado e Terapêutico. “Anote todas as coisas mais difíceis e irritantes sobre a quarentena”, recomenda Osincup. “Brinque com aqueles. Veja se você consegue encontrar algum humor na sua situação. ”

Fonte: The New York Times, por Richard Schiffman