O que você procura?
Renova banner


Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item

“Sou médico, não juiz”, publica Drauzio Varella sobre polêmica envolvendo reportagem do Fantástico

Rodolpho Bohrer 8 de março de 2020 às 21:33
Tempo de leitura
3 min

Após um dia inteiro de polêmica envolvendo a reportagem do Fantástico, programa dominical da TV Globo, transmitido no domingo passado (1), em que Drauzio Varella foi até alguns presídios mostrar como é a vida de mulheres trans nos presídios brasileiros, o médico resolveu se manifestar via redes sociais.

A polêmica começou após muitos perfis no Twitter questionarem a reportagem em que, para eles, relativizava e colocava em “posição de vitimismo” presas de crimes hediondos, como foi o caso de Suzy, uma das presas exibidas na matéria que mais causou comoção, após a detenta receber um abraço do médico ao relatar a ele que não recebia visitas no presídio há oito anos.


Após muita movimentação na internet e até campanhas de doação e envio de cartas para a detenta, o site Antagonista publicou uma matéria revelando que a detenta trans Suzy estava presa por ter estuprado e matado um garoto de 9 anos, e que o motivo para que a detenta não recebesse visitas há tanto tempo foi porque a família a renegou devido à “enormidade do crime cometido”, e não pela sua sexualidade.

Muitas pessoas inconformadas com a revelação colocaram hoje Drauzio e Suzy no top trends do Twitter, em sua maioria pedindo, muitas vezes ironicamente e outros com grande revolta, que Drauzio também “vá dar um abraço solidário na família da vítima”.

Após às várias mensagens, o Portal Drauzio Varella, no Facebook, publicou uma mensagem do médico envolvendo toda a polêmica:

Há mais de 30 anos, frequento presídios, onde trato de saúde de detentos e detentas. Em todos os lugares em que pratico a Medicina, seja no meu consultórios ou nas penitenciárias, não pergunto sobre o que meus pacientes possam ter feito de errado. Sigo essa conduta para que meu julgamento pessoal não me impeça de cumprir o juramento que fiz ao me tornar médico. No meu trabalho na televisão, sigo os mesmos princípios. No caso da reportagem veiculada pelo Fantástico na semana passada (1/03), não perguntei nada a respeito dos delitos cometidos pelas entrevistadas. Sou médico, não juiz.

Esclarecimento do dr. Drauzio sobre a reportagem produzida e veiculada pelo Fantástico, no último domingo, 01 de Março.

Posted by Portal Drauzio Varella on Sunday, March 8, 2020

Por outro lado, boa parte dos tuítes também defendem o médico:

 

A sentença de Suzy,  em 2010 julgada como Rafael Tadeu Olveira dos Santos, está disponível aqui.

Inscreva-se no nosso boletim informativo

Inscreva-se para receber as principais notícias veiculadas no nosso site em sua caixa de entrada, uma vez por dia.

Não fazemos spam! Leia nossa política de privacidade para mais informações.

ATENÇÃO: Ao copiar uma matéria do Mais Minas, ou parte dela, não se esqueça de incluir o link para a notícia original.

Última atualização em 14 de setembro de 2021 às 15:18