O que você procura?
Renova banner


Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item

Vacina contra coronavírus chega à fase final nos EUA

Rômulo Soares 15 de julho de 2020 às 11:02
Tempo de leitura
2 min

A empresa americana de biotecnologia Moderna informou que está entrando em fase final no desenvolvimento de uma vacina para o novo coronavírus, realizando testes em humanos dentro de duas semanas.

Essa é a primeira vez que um laboratório chega a fase final dos testes em humanos com uma vacina contra o coronavírus, que começará no dia 27 de julho nos Estados Unidos, com 30.000 participantes. Metade deles receberá a vacina em doses de 100 microgramas e outra metade, um placebo. Os testes vão durar até 27 de outubro de 2022.


A situação da pandemia do novo coronavírus já totaliza quase 578 mil mortes e mais de 13,2 milhões de infectados no mundo inteiro. Particularmente na América Latina, os números são mais preocupantes, registrados 3,4 milhões de casos de Covid-19 e se tornou a segunda região mais afetada do mundo depois da Europa, com 146.735 mortes.

Em entrevista coletiva na última terça-feira (14), a diretora da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAs), Carissa Etienne, disse que “está em coordenação com outros parceiros para garantir que os países mais vulneráveis  da região receberá a vacina contra a Covid-19 de forma subsidiada e com preços acessíveis”, especificando que isso pode ser articulado graças a um fundo de cooperação.

Etienne alertou que os países devem se preparar agora para alcançar populações vulneráveis. “Caso contrário, pode levar anos para as pessoas serem vacinadas e não podemos arcar com esse atraso”, afirmou.

Coronavírus no Brasil

No Brasil, foram registrados 74.133 mortos e se aproximando de 2 milhões de infectados, dentre eles o próprio presidente Jair Bolsonaro, que está em quarentena há quase uma semana e aguarda ansiosamente os resultados. “Não suporto essa rotina de ficar em casa”, disse ele em entrevista à CNN.

Em Minas Gerais, são 1.688 óbitos tendo coronavírus como causa e 78.643 infectados. Segundo o governador Romeu Zema, em entrevista exclusiva à Super 91,7 FM, o pico das contaminações de Covid-19 tem a data referência nesta quarta-feira (15) e que pode ser 15% maior do que o previsto pelos especialistas.

Veja também: Idosa de 98 anos recebe alta em Uberlândia após ser curada da Covid-19

ATENÇÃO: Ao copiar uma matéria do Mais Minas, ou parte dela, não se esqueça de incluir o link para a notícia original.