O que você procura?


Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item

Expansão da CBMM, em Araxá, terá investimentos de mais de R$ 2 bilhões e geração de 133 empregos

São mais de 3 mil pessoas trabalhando na companhia, número que deverá ser ampliado com o projeto de expansão.

Rômulo Soares 5 de novembro de 2021 às 16:28
Tempo de leitura
3 min
Foto: Divulgação /CBMM
Foto: Divulgação /CBMM

A Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM) inaugurou o seu projeto de expansão nessa última quinta-feira, 4 de outubro, em Araxá. Com isso, espera-se que haja a ampliação da capacidade de produção de 100 mil toneladas de nióbio para 150 mil toneladas do insumo por ano. O governador Romeu Zema (Novo) esteve presente no evento.

O projeto prevê a construção de uma estrutura de disposição de rejeitos e a expansão da capacidade industrial, com investimentos de mais de R$ 2 bilhões e geração de 133 empregos diretos na cidade.

São mais de 3 mil pessoas trabalhando na CBMM, número que deverá ser ampliado com o projeto de expansão. O CEO da companhia, Eduardo Ribeiro, ressaltou que há mais de 60 anos a empresa investe no desenvolvimento do mercado de produtos de nióbio.


“Pretendemos oferecer soluções tecnológicas cada vez mais relevantes para as diversas indústrias. Temos a perspectiva de dobrar de tamanho, em volume de vendas, até 2030, e para isso vamos realizar investimento superior a R$ 7 bilhões, para um novo ciclo de expansão, que deve ter início em 2023”, explica Eduardo Ribeiro.

O trabalho da CBMM é focado no desenvolvimento de novas tecnologias com nióbio e na diversificação do seu mercado de atuação, principalmente em segmentos que estejam ligados às tendências globais de eletrificação, sustentabilidade, urbanização e transformação digital.

Durante a cerimônia na sede da CBMM, Romeu Zema assinou o protocolo de intenções que visa estimular o desenvolvimento social e econômico da região de Araxá, com ampliação de oportunidades de emprego direto e indireto, aumento das receitas para o município e seu entorno, além da implantação de atividades produtivas que agreguem valor e tecnologia ao estado.

A CBMM é líder mundial na produção e comercialização de produtos de nióbio, tendo mais de 400 clientes em 50 países. A companhia é sediada no Brasil, com escritórios e subsidiárias na China, Países Baixos, Singapura, Suíça e Estados Unidos. Ela fornece produtos e tecnologia aos setores de infraestrutura, mobilidade, aeroespacial e energia.

Em 2019, A CBMM investiu na 2DM, empresa voltada ao Grafeno e, em 2021, nas startups Echion e Battery Streak. Os investimentos visam novos desenvolvimentos em materiais para baterias de íons de lítio.

Outro empreendimento

Outro empreendimento que trará investimentos à Araxá é da Mccain, empresa do setor de alimentos, que está investindo quase R$ 250 milhões na instalação de uma unidade industrial na cidade, com previsão de inauguração ainda neste ano, gerando 150 empregos diretos.

A McCain é uma empresa de família canadense com 60 anos de mercado e está presente em mais de 150 países. Com 47 fábricas e mais de 20 mil funcionários, a empresa tem um faturamento anual de C$ 9 bilhões por ano.

ATENÇÃO: Ao copiar uma matéria do Mais Minas, ou parte dela, não se esqueça de incluir o link para a notícia original.