Ultimate magazine theme for WordPress.

Em 2019, Belo Horizonte tem 48% de redução nos roubos de veículos; roubo de celulares cai 34,1%

Belo Horizonte alcançou neste ano de 2019, redução de 31% nos roubos a comércios, 41% nos roubos a coletivos e 48% nos roubos de veículos. Ressalta-se ainda uma queda de 34,1% nas estatísticas envolvendo roubo a aparelhos celulares. O resultado positivo é  fruto do trabalho dos órgãos de segurança de Minas que não pouparam esforços na busca  da redução dos crimes violentos nas modalidades mais diversas.

Neste sentido, a Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH) e o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Belo Horizonte (Setra-BH) que são parceiros da Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG), reconhecendo o esforço que as instituições de  segurança  mineiras vêm fazendo para  alcançar a redução criminal, juntaram-se em uma  campanha para evidenciar os  dados  históricos de redução criminal na cidade de Belo Horizonte e difundir os números reais a toda a população para que ela se sinta cada vez mais segura.

Numa parceria com o Setra-BH, foram cedidos 25 espaços  backbus, nas linhas  de transporte de passageiros urbano, a partir de hoje, nos quais serão veiculadas imagens demonstrando a redução criminal na capital mineira. Além disso, desde a última sexta- feira, 20, nas televisões que se encontram no interior dos ônibus estão sendo veiculadas as mesmas informações.

A CDL/BH fará a veiculação dos dados em todos os seus canais de mídia, enfatizando a histórica redução dos índices, disseminando aumento na sensação de segurança objetiva e subjetiva causada pelo serviço policial ostensivo e visível nas ruas da cidade. O presidente da CDL/BH, Marcelo de Souza e Silva, explica que o objetivo da campanha é mostrar à  população o índice de redução dos crimes, evidenciando que Belo Horizonte está mais  segura  para se viver, trabalhar e investir.  “Essa redução  dos índices de criminalidade é resultado de um trabalho ostensivo da Polícia Militar, que merece o nosso reconhecimento.  E quando o cidadão toma conhecimento dessa redução, a sensação de segurança  aumenta, o que é muito importante  para  todos nós”, explica.  “A segurança é uma das  principais demandas do comércio.  A CDL/BH continuará trabalhando em conjunto com a Polícia Militar para a ampliação da redução da criminalidade. Só assim teremos uma cidade melhor para todos”, completa.

Fatores que levaram à redução criminal

Pela Polícia Militar, segundo Comandante do Policiamento da Capital (CPC), Coronel Anderson de Oliveira, várias estratégias foram implementadas para garantir a segurança   dos   belo-horizontinos. Dentre elas estão: redução administrativa, implantação do projeto de setorização, otimização das ferramentas de análise criminal, estreitamento do  relacionamento entre os órgãos que compõem o sistema de defesa social, interação  comunitária, uso de tecnologias  para otimizar o serviço operacional, entre outras inúmeras ações.

Nas áreas comerciais, além do trabalho desenvolvido pelo lançamento das 86 Bases Comunitárias de Segurança lançadas em pontos estratégicos da capital, o CPC priorizou a  visibilidade e a ostensividade do policiamento, minimizando a possibilidade de ocorrências de delitos.

Com relação aos roubos de aparelhos celulares, foram realizadas diversas operações com  foco no combate à receptação, diminuindo a liquidez desses aparelhos  como moeda de   troca no mercado da criminalidade. O combate ao contrabando e descaminho de produtos de origem ilícita também foi uma das ações priorizadas pelo CPC para aumentar a queda brusca da criminalidade.

Com o objetivo de reduzir e controlar o número de homicídios, foram criados os núcleos  de controles e diagnósticos de homicídios, acompanhados das respectivas patrulhas que se utilizam de diversas tecnologias para potencializar a efetividade das operações e  possibilitar a identificação de possíveis alvos de outros criminosos, antecipando as ações dos infratores  homicidas. A implementação da tecnologia nas viaturas policiais, permitiu maior acesso a informações de segurança pública e agilidade nas comunicações entre os militares que trabalham nas ruas, possibilitando também a redução da criminalidade.

O índice de assaltos a coletivos apresentou redução da ordem de 41%. Vale destacar que  tais dados são frutos de abordagens a suspeitos, incluindo integração com os órgãos de segurança na agilização de inquéritos e mandados de prisão preventiva para infratores  contumazes, operações em coletivos, mapeamento de gangues, controle das divisas de área com outras regiões, otimização do monitoramento das câmeras de olho vivo, além do monitoramento criminal hora a hora.

Comentários do Facebook