O que você procura?

Para ser campeão nesta quinta, Atlético precisa de feito que não acontece há 18 anos

A última vez que o Atlético bateu o Bahia longe de seus domínios foi em 2003, quando venceu de virada por 4 a 2, na Arena Fonte Nova.
Rômulo Soares 1 de dezembro de 2021 às 14:19
Tempo de leitura
3 min
Foto: Pedro Souza / Atlético
Foto: Pedro Souza / Atlético

O Flamengo venceu o Ceará por 2 a 1 na noite dessa terça-feira, 30 de novembro, no Maracanã. Com isso, o torcedor atleticano teve que segurar o grito de “é campeão”. Mas o Atlético terá uma nova oportunidade de conquistar o título brasileiro neste meio de semana, dentro de campo, nesta quinta-feira, 2 de dezembro. Porém, para levar a taça, o Galo terá que repetir um feito que não acontece há 18 anos: vencer o Bahia fora de casa.

A última vez que o Atlético bateu o Bahia longe de seus domínios foi em 2003, quando o Galo venceu de virada por 4 a 2, na Arena Fonte Nova, em Salvador, em jogo válido pelo Campeonato Brasileiro. Foi o primeiro ano em que o Brasileirão foi disputado em pontos corridos. Desde então, foram sete empates e uma vitória dos donos da casa (2 a 1 pela Copa do Brasil).


Caso o Atlético empate, a diferença para o Flamengo será de nove pontos e o título poderá ser definido nesta sexta-feira, 3 de dezembro, caso o time carioca não vença o Sport fora de casa. Se o Galo perder para o Bahia, ainda pode comemorar o título no “sextou” se o rubro-negro não vencer. Para depender só de si, basta o Alvinegro bater o Tricolor ou o Bragantino neste domingo, 5 de dezembro, no Mineirão.

O duelo contra o Bahia não será nada fácil para o Atlético. O Tricolor luta contra o rebaixamento, é o atual 17º colocado, com 40 pontos, dois a menos que o Athletico-PR, 18º. Com a força da sua torcida, o time baiano irá com força total para o jogo contra o Galo. Além disso, o técnico Cuca terá três desfalques para o jogo contra o Bahia. Os meio-campistas Allan e Jair, assim como o centroavante Diego Costa estão fora do confronto para cumprir suspensão automática. 

A opção mais provável é que Tchê Tchê seja o substituto de Allan diante do Bahia. Nas outras posições, as alternativas são mais incertas. Na vaga de Jair, Nacho Fernández pode ser acionado e no lugar de Diego Costa, os também atacantes Savarino, Eduardo Sasha e Eduardo Vargas disputam uma vaga.

O confronto entre Bahia e Atlético acontece nesta quinta-feira, às 18h, na Arena Fonte Nova, em jogo válido pela 32ª rodada do Brasileirão. A partida terá transmissão da TV Globo e Premiere.

Prováveis escalações

Bahia: Fernandes; Bahia, Henrique, Conti, Guedes; Mugni, Patrick; Ramirez, Rodriguinho, Rossi; Gilberto.
Técnico: Guto Ferreira.

Atlético: Everson; Mariano, Nathan Silva, Junior Alonso e Dodô; Tchê Tchê, Zaracho e Nacho Fernández; Keno, Vargas e Hulk.
Técnico: Cuca.

Arbitragem

  • Árbitro: Flávio Rodrigues de Souza (SP)
  • Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse (SP) e Alex Ang Ribeiro (SP)
  • Quarto Árbitro: Wagner Francisco Silva Souza (BA)
  • Árbitro de Vídeo (VAR): Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral (SP)

Retrospecto

No retrospecto geral do confronto, o Atlético leva a melhor. São 22 triunfos atleticanos, 14 baianos e 18 empates. O Galo estufou as redes do Bahia 82 vezes e sofreu 58 gols do Tricolor.

ATENÇÃO: Ao copiar uma matéria do Mais Minas, ou parte dela, não se esqueça de incluir o link para a notícia original.