O que você procura?


Rafael Menin fala em quitar dívidas do Atlético até 2026 e revela folha salarial do elenco

O mecena revelou que o Atlético, como um todo, custa cerca de R$ 300 milhões por ano e, ainda sem a Arena MRV que está sendo construída, o clube tem condições de alcançar uma receita de aproximadamente R$ 350 a R$ 400 milhões.

Rômulo Soares 3 de setembro de 2021 às 18:10
Tempo de leitura
4 min
Foto: Divulgação/MRV
Foto: Divulgação/MRV

Membro do órgão colegiado do Atlético, Rafael Menin, filho de Rubens Menin, é um dos principais apoiadores financeiros do clube. Ele deu uma entrevista ao canal FalaGalo, no YouTube, em que falou sobre algumas questões financeiras e administrativas do Alvinegro que tanto chamam a atenção da mídia nacional.

O mecena revelou que o Atlético, como um todo, custa cerca de R$ 300 milhões por ano e, ainda sem a Arena MRV que está sendo construída, o clube tem condições de alcançar uma receita de aproximadamente R$ 350 a R$ 400 milhões. A dívida do clube, de acordo com Rafael Menin, não conseguirá sair da casa bilionária ainda neste ano, porém, o plano de gestão do Galo é de pagar cerca de R$ 800 milhões em dívida entre 2021 e 2026.

Para o pagamento desse valor dentro do prazo definido, o Atlético tem duas fontes de receita: o resultado operacional e a otimização do ativo bilionário para acelerar a redução da dívida.

“A consultoria que a gente contratou acha que o Atlético deveria fazer uma otimização do seu ativo imobiliário para acelerar a redução da dívida. Esse ativo vale mais ou menos R$ 400 milhões. Então, se nós tivermos um resultado operacional em 2021 e 2026 de aproximadamente R$ 400 milhões, com a otimização imobiliária, outros R$ 400 milhões, a dívida iria para R$ 300 milhões, que é o Profut, que tem 25 anos de parcelamento para pagar. Esse é o nosso plano”, explicou Rafael.

O objetivo dos “4R’s” do Atlético é entregar o clube autossustentável daqui cinco anos, com uma boa receita, uma base forte para vender jogadores e, ao mesmo tempo, gastar menos. Assim, o Galo, em cinco anos, passaria a ter uma condição financeira que nunca teve. De acordo com Rafael Menin, o Alvinegro já passa por problemas financeiros há 50 anos.

“Eu fico imaginando o Atlético pagar só o Profut e não essas dívidas, juros e receitas comprometidas de anos seguintes. Você imagina o Galo tendo, a partir de 2026, uma receita a partir de R$ 450 milhões a R$ 500 milhões, sem ter passivo, significa que o clube que custa R$ 300 milhões hoje, vai poder custar R$ 400 milhões. Então, imagina o elenco atual gastando R$ 100 milhões a mais. É possível, dá para ter um time muito qualificado daqui alguns anos, ainda mais qualificado que o time atual. Mas tem que ter muita disciplina, coragem e atacar os problemas de frente. O Atlético vem postergando a equalização do seu passivo há muitos anos e somos um dos poucos clubes que tem condição de acelerar a liquidação desse passivo”, pontuou o mecena.

Essa otimização do ativo bilionário do Atlético se trata da metade do Shopping Diamond Mall a qual o Alvinegro é dono. De acordo com Rafael Menin, o clube arrecada com o imóvel R$ 5 milhões por ano a medida que paga R$ 50 milhões em juros. O empresário deixou a escolha de vender tal ativo para a gestão do Galo, mas deixou claro qual é o custo e a arrecadação que tem com ele.

Por fim, Rafael Menin revelou que a folha salarial do elenco do Atlético, atualmente, custa em torno de R$ 13 milhões, 6% a mais que a do ano passado. O empresário, inclusive, revelou que o Galo deve fazer alguma “movimentação” dentro do seu elenco, que deverá diminuir esse valor. Conforme foi apresentado no “Galo Business Day”, evento promovido pela gestão do time, junto de seu órgão colegiado, para apresentar a situação financeira do time, o Atlético arrecadou, até o momento, apenas a metade do que era previsto em venda de jogadores no ano.