23.3 C
Belo Horizonte
domingo, 4 dezembro 2022

Renova Excursão

Atual vice-campeã, Croácia sabe que pode sonhar com outro épico, agora no Catar

Modrić ainda joga em alto nível e é peça chave para a seleção croata

Há pouco mais de quatro anos a seleção da Croácia chocou o planeta ao chegar à final da Copa do Mundo da Rússia, batendo adversários como Argentina e Inglaterra na campanha, e só perdendo para a favorita França, na decisão, num jogão de seis gols.

Mais que confiar num elenco sólido, de jogadores experientes, rodados e acostumados a grandes jogos, o maior trunfo da Croácia para a Copa do Catar é: saber que pode sonhar com outro épico. A assombrosa campanha em 2018 mostra para esses jogadores e torcedores que dá para ir longe.

A estrela Modrić

E se a Croácia quer emplacar mais uma boa campanha, dependerá de seu maior craque, Luka Modrić, camisa 10 da seleção e do Real Madrid, um dos maiores clubes do mundo.

Após 2018, ano que Modrić faturou o prêmio de melhor jogador da Copa e de Melhor do Mundo, ao capitanear os croatas para a final da maior competição futebolística do planeta, muitas pessoas previram que o franzino meio-campista, já com 33 anos na época, estaria vivendo uma de suas últimas temporadas no auge. Mas o que se viu foi algo muito diferente.

Hoje, com 37 anos, Modrić segue como um dos principais jogadores de futebol do planeta e poucos meses atrás levantava sua quinta Champions League pelo Real Madrid, com direito a grandes e decisivas atuações na campanha.

Modrić ainda joga em alto nível e é peça chave para a Croácia. Quando ele joga, ele faz jogar. Portanto, o camisa 10 é uma arma que consegue potencializar seus companheiros em campo.

Croácia tem um conjunto sólido

Outras figuras experientes, que participaram do épico de 2018, como os meio-campistas Ivan Perisic, do Tottenham, Marcelo Brozovic, da Inter de Milão, e Mateo Kovacic, do Chelsea, também estarão no Catar e podem ser o suporte necessário para que a Croácia seja um time sólido. A dupla de zaga Vida e Lovren também foi chamada, mas é a promessa Joško Gvardiol, de 20 anos, que deve ser o principal zagueiro da equipe.

Gvardiol e Vida, passado, presente e futuro da defesa da Croácia
Gvardiol e Vida, passado, presente e futuro da defesa da Croácia – Foto: Drago Sopta/HNS

Entre os jogadores menos conhecidos, mas que podem ser importantes na disputa, estão os atacantes Bruno Petkovic e Mislav Orsic, que vêm fazendo bons jogos pelo Dínamo Zagreb, de seu país natal.

Num grupo acessível, com Bélgica, Marrocos e Canadá, espera-se que a Croácia se classifique sem dificuldade para a fase de mata-matas. Mas, e como chegar longe? Bem, será preciso um mês inspirado de seus principais jogadores e, convenhamos, uma caminho acessível no chaveamento da fase eliminatória, assim como foi em 2018, pode ajudar bastante.

Croácia terá na Bélgica o adversário mais complicado na fase de grupos
Croácia terá na Bélgica o adversário mais complicado na fase de grupos – Foto: Drago Sopta/HNS
  • Time base (4-3-3): Dominik Livakovic (Dinamo Zagreb-CRO); Josip Juranovic (Celtic-ESC), Josip Sutalo (Dinamo Zagreb-CRO), Josko Gvardiol (RB Leipzig-ALE) e Borna Sosa (Stuttgart-ALE); Marcelo Brozovic (Inter de Milão-ITA), Mateo Kovacic (Chelsea-ING) e Luka Modric (Real Madrid-ESP); Mario Pasalic (Atalanta-ITA), Ivan Perisic (Tottenham-ING) e Andrej Kramaric  (Hoffenheim-ALE).
  • Técnico: Zlatko Dalić
  • Capitão: Luka Modrić
  • Destaque: Luka Modrić
  • Jogos: Marrocos (23/11); Canadá (27/11); Bélgica (1/12).
  • Prognóstico: Briga pela primeira colocação do grupo
  • Melhores participações: 2018 (Vice-campeã)
  • Ídolos históricos: Luka Modrić, Davor Šuker, Zvonimir Boban
  • Maior goleador: Davor Šuker (48 gols)
  • Jogador que mais vezes atuou: Luka Modric (150 jogos)

Você pode gostar também:

RECENTES

Veja também sobre: