Cruzeiro perde para lanterna Oeste e já deve pensar no planejamento da próxima temporada

Na noite de quarta-feira (13). o Cruzeiro foi derrotado pelo lanterna Oeste, por 1 a 0, no estádio Independência, em Belo Horizonte, em partida válida pela 34ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. Com mais um tropeço na competição, as chances matemáticas do Cruzeiro de voltar à primeira divisão, faltando quatro rodadas, são praticamente nulas.

Em 13º lugar e oito pontos atrás do quatro colocado, vaga ocupada pelo CSA, só restam 12 pontos para o Cruzeiro disputar na competição. Praticamente livre também da zona de rebaixamento, a derrota para o Oeste pode servir para o Cruzeiro começar a se planejar para a próxima temporada, já que o Campeonato Mineiro já começa no dia 28 de fevereiro, dando à Raposa menos de um mês para se preparar para o início da temporada. O último jogo do Cruzeiro na temporada 2020-201 será no dia 30 de janeiro, contra o Paraná, no Sul.

Com a provável saída de Felipão do comando do time, que está insatisfeito com a diretoria por causa de promessas feitas ao técnico no momento da contratação que não estão sendo cumpridas, principalmente pelas recorrentes atrasos salariais, o Cruzeiro já monitora o mercado em busca de um novo nome, tarefa que não será fácil, já que o Cruzeiro sofreu para contratar um treinador em 2020 após a demissão de Ney Franco, pois muitos profissionais rejeitaram assumir o time com tantos problemas extracampo. Algum dos nomes cogitados em 2020, antes da chegada de Felipão, pela equipe azul celeste foram: Umberto Louzer, que subiu antecipadamente com a Chapecoense para a Série A faltando quatro rodadas; Lisca, que lidera a Série B com o América-MG e que também já garantiu vaga para a equipe mineira na elite do futebol; Marcelo Chamusca (então técnico do Cuiabá). Ou seja, nomes até mesmo de menor expressão no futebol brasileiro, que disputam a Série B, rejeitaram ofertas da Raposa.

Apesar das dificuldades, o Cruzeiro precisa definir o mais rápido possível o nome que comandará a equipe a partir de fevereiro, ou estará fadado a cometer o mesmo erro de 2020, quando decidiu manter Adilson Batista no comando do time mesmo com o time e torcida muito insatisfeitos com o desempenho do treinador, que foi o comandante do Cruzeiro na reta final do campeonato de 2020, que levou a Raposa à queda.

Outra situação que os comandantes do clube mineiro devem começar avaliar é a permanência e dispensa de jogadores, principalmente daqueles com os maiores salários. Mais uma ano na Série B significa mais uma temporada sem a principal fonte de renda dos clubes brasileiros, que é o dinheiro pago às equipes pelo direto de transmissão dos jogos. Para clubes da Série B, o valor não chega a 10% do que é pago à maioria dos clubes da Série A.

Além a Série B e do Campeonato Mineiro, o Cruzeiro também disputará em 2021 mais uma edição da Copa do Brasil.

Pela Série B em andamento, o Cruzeiro ainda enfrenta o Juventude no dia 16, o Operário no dia 20, o Náutico no dia 24, e fecha a temporada no dia 30 contra o Paraná. Esses serão quatro jogo para a Raposa “cumprir tabela”, que poderão ser aproveitados para o clube avaliar o desempenho de jogadores tanto da equipe principal, que pode pesar na saída ou permanência, como também dar chances a novos jogadores da base, que podem ajudar o clube a se recuperar tanto em campo como financeiramente em 2021.

Cruzeiro perde para lanterna Oeste e já deve pensar no planejamento da próxima temporada
Cruzeiro perde para lanterna Oeste e já deve pensar no planejamento da próxima temporada