20.4 C
Belo Horizonte
segunda-feira, 5 dezembro 2022

Senegal é candidato à zebra na Copa do Mundo, mesmo vivendo incerteza acerca do craque Mané

No terceiro artigo Especial Copa do Mundo, o Mais Minas apresenta a Seleção de Senegal

No Mundial de 2002, uma seleção africana chocou o mundo ao vencer a atual campeã e favorita França logo na estreia do torneio, por 1 a 0. Esse time era o Senegal, que conseguiu uma boa campanha e se classificou ao mata-mata da Copa do Mundo. Agora, 20 anos depois, os Leões de Teranga sonham em repetir os feitos em novos solos asiáticos.

O Senegal chega à Copa do Mundo do Catar embalado por um ótimo ciclo, além de ser o atual campeão da Copa Africana de Nações, vencendo o Egito na grande final. A equipe conta com nomes de peso e de destaque no futebol europeu, tendo uma espinha dorsal bem definida e extremamente competitiva.

A segurança da equipe começa na dupla de defesa que pertence ao Chelsea, com o zagueiro Kalidou Koulibaly e o goleiro Edouard Mendy, que acumulam boas temporadas no Velho Continente. No meio-campo, nomes como Gana Guete (Everton-ING), Nampalys Mendy (Leicester City-ING) e Cheikou Kouyaté (Nottingham Forest-ING) oferecem boas opções no estilo de jogo.

Um craque além do campo

Sadio Mané (Bayern de Munique-ALE) é o líder da geração e, sem dúvidas, um dos maiores jogadores da história do futebol europeu. Em campo, o atacante se consagrou com temporadas de destaque na Inglaterra, em ótimas passagens por Southampton e Liverpool, clube em que venceu a Liga dos Campeões e o Campeonato Inglês. Pela seleção, o camisa 10 esteve presente na disputa da Copa da Rússia, em 2018, e foi peça-chave no título da Copa Africana de Nações, em 2021.

+ Com velho conhecido no comando, Holanda retorna à Copa do Mundo sonhando com título inédito

Porém, o destaque do jogador não se resume ao gramado. Mané vem realizando diversas ações sociais para Senegal, investindo na educação e proporcionando, na medida do possível, uma vida melhor a seus compatriotas. O atacante já construiu um hospital, uma escola e uma mesquita no país. Recentemente, as boas atitudes foram consagradas com o Prêmio Sócrates, concedido pela FIFA a atletas que tenham boas condutas sociais.

Premiação foi realizada na cerimônia da Bola de Ouro - Foto: Divulgação
Premiação foi realizada na cerimônia da Bola de Ouro – Foto: Divulgação

A presença de Sadio Mané na Copa do Mundo do Catar, no entanto, é incerta. Defendendo o Bayern de Munique, na última terça-feira (08), o jogador deixou o campo sentindo dores musculares. A situação ainda não é definitiva, mas é possível que Mané seja desfalque em alguns jogos da Seleção Senegalesa. No entanto, há a expectativa de que seja convocado mesmo que não tenha condições físicas ideais.

Um herói no comando

Aos 46 anos, Aliou Cissé comanda Senegal desde 2015, com um grande trabalho. Ao todo, são 143 partidas, com 100 vitórias, 26 empates e 17 derrotas, além, claro, do título africano e das classificações às Copas de 2018 e 2022. Mas a história de Cissé é muito maior do que somente o comando do time, afinal, ele era o capitão da seleção na histórica campanha do Mundial de 2002.

Cissé (direita) é um ídolo nacional - Foto: Divulgação
Cissé (direita) é um ídolo nacional – Foto: Divulgação

Aliou Cissé, na atualidade, busca montar um time cada vez mais intenso, apoiado pela força dos jogadores de meio-campo. Senegal costuma ir a campo no esquema 4-3-3, oferecendo liberdade ofensiva para Sadio Mané e Ismaila Sarr, que aliam velocidade à habilidade.

+ Anfitrião, Catar estreia na Copa do Mundo lidando com antipatia do público por costumes conservadores

  • Time base (4-3-3): Edouard Mendy (Chelsea-ING); Bouna Sarr (Bayern de Munique-ALE), Kalidou Koulibaly (Chelsea-ING), Abdou Diallo (RB Leipzig-ALE) e Saliou Ciss (Nancy-FRA); Nampalys Mendy (Leicester-ING); Gana Gueye (Everton-ING) e Cheikou Kouyaté (Nottingham Forest-ING); Sadio Mané (Bayern de Munique-ALE), Ismaila Sarr (Watford-ING) e Boulaye Dia (Villarreal-ESP).
  • Técnico: Aliou Cissé
  • Capitão: Kalidou Koulibaly
  • Destaque: Sadio Mané
  • Jogos: Holanda (21/11), Catar (25/11) e Equador (29/11)
  • Prognóstico: Classificação ao mata-mata
  • Melhores participações: 2002 (quartas de final)
  • Ídolos históricos: El Hadji Diouf, Sadio Mané e Henri Câmara
  • Maior goleador: Sadio Mané (33 gols)
  • Jogador que mais vezes atuou: Henri Câmara (99 jogos)

Você pode gostar também:

RECENTES

Veja também sobre: