Governo de MinasNotíciasPolítica

Governo de Minas: Pagamento do 13º segue indefinido

Na ultima sexta-feira (14), o governo de Minas Gerais cancelou a reunião que trataria sobre o pagamento do 13º salário dos servidores públicos estaduais. Sem marcar uma nova data, o executivo prometeu comunicar a decisão sobre o benefício até a próxima quarta-feira (19).

Segundo Carlos Calanzas, secretário de relações institucionais do governo, o cancelamento da reunião do comitê de representantes dos servidores e do estado ocorreu porque a Secretaria de Fazenda não alcançou os cálculos  necessários para definir o pagamento do 13º salário.  “O governo segue fazendo todo o esforço necessário do fluxo de caixa, mas como não tinha ainda esse fechamento financeiro de tudo, preferimos suspender”, disse Calanzas.

Escala do  pagamento de dezembro alterada para algumas categorias

Diante dos protestos ocorridos na  ultima terça-feira (11), que pediam a  antecipação da segunda parcela do pagamento para antes do Natal,   o governo  confirmou que uma parcela “extra” no valor de R$ 2 mil para todos os funcionários que trabalham na Fhemig, Hemominas e no Ipsemg.  Além destes servidores, os policiais militares também terão o valor na conta até o dia 21 de dezembro.  O governo ainda informou que, até a próxima semana, o pagamento poderá ser estendido a todo o funcionalismo.

Confira como ficou a nova escala de pagamento do funcionalismo público estadual de Minas Gerais:

Para servidores da segurança, do Hemominas, da Fhemig e do Ipsemg:

13/12 – R$ 2 mil;

21/12 – R$ 2 mil;

28/12 – R$ restante do pagamento.

Para os servidores das demais categorias:

13/12 – 1ª parcela de até R$ 2 mil para todos os servidores (ativos, inativos e pensionistas);
28/12 – 2ª parcela com o valor restante do salário para todos os servidores (ativos, inativos e pensionistas).

Pagamento do 13º salário segue indefinido

Os servidores públicos estaduais seguem sem saber se terão parte do 13º salário pago ainda este ano ou se se o benefício será pago na gestão do governador eleito, Romeu Zema (Novo).  Ainda não houve nenhuma reunião dos representantes do governador Fernando Pimentel (PT) coma equipe de transição de Zema para tratar deste assunto.

Com base no diagnóstico sobre a situação fiscal do estado, apresentado pela Fiemg (Federação das Indústrias do Estado de  Minas Gerais) no último dia 8, a equipe de transição do governo acredita que o atual governador não deva conseguir pagar o benefício ainda este ano e esse gasto extra, de cerca de R$ 2,450 bilhões deverá ficar para a próxima gestão.

As categorias seguem mobilizadas pressionando o governo diante da insatisfação com os atrasos e, diante disso, o Sindicato dos Servidores Públicos (Sindpúblicos) convocou uma nova paralisação para a próxima segunda-feira (17).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios