Jair BolsonaroNotícias

Jair Bolsonaro é eleito um dos 100 mais influentes do mundo pela revista Time

Realizada todos os anos, a “Time 100” não é um ranking, é uma lista das 100 pessoas mais influentes do mundo, elaborada pela Time, uma das mais conhecidas revistas semanais do mundo, publicada nos Estados Unidos.

“Nosso objetivo é destacar o progresso que essas pessoas estão fazendo e incentivar a colaboração para um mundo melhor”, escreveu Edward Felsenthal, editor-chefe da Time.

As personalidades incluídas estão divididas em categorias que variam ao longo dos anos, tais como: Ícones, Pioneiros, Artistas, Líderes, Lendas, Titãs, entre outros.

Em 2019, a lista “Pioneiros” inclui personalidades como a atriz Sandra Oh (“Grey’s Anatomy”), a modelo Chrissy Teigen e a tenista Naomi Osaka.

Na categoria “Artistas” estão presentes a atriz americana Glenn Close (“A Esposa”), o ator Dwayne Johnson (“Velozes e Furiosos”), Rami Malek (“Bohemian Rhapsody”), Emilia Clarke (“Game of Thrones”), Regina King (“Se a Rua Beale Falasse”), Brie Larson (“Capitã Marvel”), Mahershala Ali (“Green Book: O Guia”), Ariana Grande e a boy band sul-coreana BTS.

  Vale suspende operação em usina de Jeceaba (MG)

Em “líderes” estão, entre outros, a política americana Nancy Pelosi, o presidente dos EUA, Donald Trump, a primeira-ministra da Nova Zelândia Jacinda Ardern, o Papa Francisco, o presidente chinês, Xi Jinping, e o autodeclarado presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó.

Nesta categoria, a revista também incluiu o presidente brasileiro Jair Bolsonaro e disse que “ele representa uma ruptura brusca com uma década de corrupção de alto nível e a melhor chance do Brasil de implementar reformas econômicas que possam domar a dívida crescente”.

Taylor Swift, Michelle Obama, o diretor Spike Lee e Lady Gaga estão entre as “Lendas”.

Na última categoria, a “Titãs”, foram incluídos o atacante egípcio Mohamed Salah, atualmente no Liverpool, o astro do basquete Lebron James, Mark Zuckerberg, co-fundador do Facebook, e o jogador de golfe Tiger Woods.

  Polarização política pode pautar eleições municipais de 2020 em Ouro Preto

Como todos os anos, as pessoas mais influentes do mundo são retratadas por editoriais escritos por várias personalidades diferentes.

Assim, a atriz israelense Gal Gadot (“Mulher Maravilha”) introduziu a estrela da série “Velozes e Furiosos” Dwayne Johnson, o cantor Shawn Mendes elogiou Taylor Swift, o produtor da série “Grey’s Anatomy”, Shonda Rhimes, falou sobre a carreira da atriz Sandra Oh, e Michelle Obama foi apresentada por Beyoncé.

Quem escreveu sobre o Jair Bolsonaro foi o cientista político e presidente da Eurasia, Ian Bremmer. “O ex-oficial do Exército também é um garoto-propaganda da masculinidade tóxica, um homofóbico ultraconservador com objetivo de lançar uma guerra cultural e talvez reverter o progresso do Brasil em combater as mudanças climáticas”, escreveu

Fechar