Vale se compromete a investir R$ 96 milhões na Defesa Civil e R$ 70 milhões nos Bombeiros

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) anunciou, nesta segunda-feira (23), um acordo celebrado entre a instituição, o Estado de Minas Gerais e Vale, por meio de um Termo de Compromisso, com a mineradora se comprometendo a investir R$ 96 milhões na aquisição, entrega e transferência de veículos, materiais e equipamentos à Coordenadoria Estadual de Defesa Civil de Minas Gerais (Cedec). O investimento será feito em razão dos prejuízos causados pelo rompimento das barragens da Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho.

De acordo com a publicação do MPMG, a Vale irá adquirir veículos, coletes e equipamentos de informática e audiovisual, além de mobiliário, para estruturação de sala de reunião, biblioteca e salas de aula. As aquisições e contratações da mineradora serão previamente aprovadas pela Cedec, conforme Plano de Trabalho aprovado e lista de priorizações. A Vale irá custear ainda todas as despesas relativas ao processo de aquisição, entrega e grafismo dos veículos.

O rompimento das barragens B – I, B – IV e B – IV A, da Mina Córrego do Feijão, da Vale, em Brumadinho, causou danos e a destruição de casas, rodovias e diversas outras infraestruturas, ocasionando uma sobrecarga das atividades de resposta e prevenção a desastres da Defesa Civil do Estado de Minas Gerais, que precisou manter grande parte de seu efetivo em Brumadinho desde 25 de janeiro de 2019.

O Termo de Compromisso – assim como o acordo firmado entre o MPMG, o Estado de Minas Gerais e a Vale em 17 de novembro, que prevê investimentos no Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais (CBMMG) – integra um conjunto de ações compensatórias a serem adotadas pela Vale que somam mais de R$ 167 milhões em benefício do Estado.

Em relação ao acordo com o CBMMG, a Vale irá adquirir caminhões e veículos leves, equipamentos de resgate, de salvamento de animais, de proteção individual (EPIs), de informática e instrumentação eletrônica, ferramentas e mobiliário. As aquisições seguirão orientações do Corpo de Bombeiros quanto às prioridades de compra, prazos e especificações. Caberá à Vale também custear todas as despesas relativas ao processo de aquisição e entrega das viaturas.