Ultimate magazine theme for WordPress.

Mais de 28 mil pessoas estão desalojadas em Minas Gerais

Região da Zona da Mata está sendo a mais afetada nesta terça-feira (28)

A Defesa Civil de Minas Gerais divulgou um boletim, nesta terça-feira (28), atualizando o número de vítimas das chuvas no estado. 50 óbitos já foram registrados, duas pessoas estão desaparecidas, outras 4.101 estão desabrigadas e 28.043 desalojadas. As chuvas intensas também deixaram, até o momento, 65 pessoas feridas.

Uma das pessoas que estão desaparecidas é de Conselheiro Lafaiete e outra de Luisburgo.

Minas Gerais passa por um momento delicado. Nesta segunda-feira (27), o Governo do estado decretou situação de emergência em 101 municípios. Essa medida tem o prazo de 180 dias. Diante da atual situação, os órgãos estaduais são autorizados a trabalhar de acordo com o estipulado pela Defesa Civil, que é o órgão a quem mais compete atuar de forma mais intensiva.

Belo Horizonte recebeu a visita de Gustavo Canuto, Ministro do Desenvolvimento Regional do Brasil. Na capital mineira, Canuto disse que o governo vai liberar R$ 90 milhões que tem como destino atender as vítimas e reparar os estragos causados pelas chuvas.

Das 50 mortes registradas, 13 foram em Belo Horizonte. Cinco pessoas de uma mesma família morreram no bairro Jardim Alvorada após o desabamento de uma casa. O bairro fica nas imediações da Pampulha. O caso aconteceu na sexta-feira (24).

De acordo com o Climatempo, há previsão de pancadas de chuva em Belo Horizonte na parte da tarde e a noite de hoje (28). A chuva deve chegar ao seu auge por volta das 14h. Também há previsão de chuva para a quarta-feira (29).

Barragem

Entre a segunda-feira (27) e a terça-feira (28), a Defesa Civil retirou quatro famílias que residiam em Macacos, distrito que faz parte de Nova Lima, região metropolitana de Belo Horizonte. A barragem da Vale B3 da Mina Mar Azul está classificada no nível 3 para rompimento e se encontra em estado de alerta. Uma quinta família precisará deixar sua casa pelo mesmo motivo.

Segundo a Vale, até o momento a barragem se encontra sob supervisão e não apresentou nenhuma alteração estrutural.

Volta às aulas

Em Belo Horizonte, assim como em todas as cidades que se encontram em situação de emergência, ainda não há previsão para o início do ano letivo.

A Defesa Civil orientou que as aulas não retornem até que as previsões climáticas estejam positivas e o clima estabilizado.

Veja também: Chuvas em Minas Gerais – como ajudar?

Comentários do Facebook