Marvel se pronuncia contra o uso do símbolo do Justiceiro pela polícia nos EUA

A Marvel se manifestou e disse que está levando a sério o uso sem permissão do símbolo do Justiceiro, um dos personagens mais famosos da companhia, por policiais que estão na linha de frente na repressão dos protestos antirracistas que estão acontecendo nos Estados Unidos desde a morte do segurança preto George Floyd, que foi asfixiado pelo joelho de um policial.

Embora não pronunciar sobre as ações para impedir o uso da caveira pela polícia, a Marvel condenou a associação dos policiais com o Justiceiro, publicando um trecho da história em quadrinhos “The Punisher #13” em que o próprio personagem evidencia a diferença entre ele o sistema oficial de segurança.

Na revista assinada por Matthew Rosenberg, Szymon Kudranski, Antonio Fabela e Cory Petit, o Justiceiro se encontra com um grupo de oficiais cujo carro está marcado com um decalque do seu símbolo. Ele imediatamente tira o adesivo e explica o motivo.

“Eu só vou dizer isso uma vez. Nós não somos iguais. Vocês juraram cumprir a lei. Vocês ajudam as pessoas. Eu desisti de fazer isso há muito tempo. Vocês não fazem o que eu faço. Ninguém faz. Vocês precisam de um bom exemplo? O nome dele é Capitão América, e ele ficaria feliz em ouvir de vocês”, diz o anti-herói.

Crédito da foto: Reprodução / Marvel

Nas HQs e na série da Netflix estrelada por Jon Bernthal, o Justiceiro é Frank Castle, que se torna um vigilante violento após a morte de sua família nas mãos da máfia. O personagem é conhecido por sua virilidade e selvageria com falta de escrúpulos, o que o coloca frequentemente em conflito com os outros heróis da Marvel.

Apoio aos protestos

A Marvel também apontou para uma declaração pública de apoio aos protestos que fez pelas redes sociais.

“Nós estamos juntos contra o racismo. Estamos juntos pela inclusão. Estamos juntos com nossos funcionários, contadores de histórias, criadores e toda a comunidade negra. Precisamos nos unir e falar sobre isso”, escreveu a empresa no último domingo (7).

Veja também: Confira as estreias da Netflix para o mês de junho

Comentários estão fechados.