21.4 C
Belo Horizonte
segunda-feira, 6 fevereiro 2023

Vale quer ampliar operações de minério de ferro em Minas Gerais

A Vale protocolou junto à Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), em outubro de 2021, um pedido de licenciamento para pesquisa mineral nas minas de Capão Xavier e Mar Azul, em Nova Lima. O estudo de impacto ambiental para possível expansão dessas minas ainda será elaborado pela empresa.

- Participe da comunidade do Mais Minas no WhatsApp e seja o primeiro a ser informado de novas notícias. CLIQUE AQUI PARA ENTRAR.


O estudo técnico realizado por empresa contratada pela Vale e protocolado na Agência Nacional de Mineração (ANM) constatou interferências da operação da mina Capão Xavier em uma área do condomínio Jardim Monte Verde, em Nova Lima. De acordo com a pesquisa, a geologia do terreno é mais suscetível a deformações do solo.

A Vale informou ao Mais Minas que apresentou aos condôminos, em 2020, um plano de reparação da área, incluindo a aquisição dos imóveis e indenização às famílias.

“A Vale ressalta que o condomínio não está na zona de autossalvamento (ZAS) de nenhuma de suas barragens e que os licenciamentos ambientais envolvendo as minas Capão Xavier e Mar Azul não estão relacionados com o avanço de lavra no terreno do condomínio”, informou a mineradora.

De acordo coma Rádio Itatiaia, a Vale gastou mais de R$ 100 milhões com pagamento de indenizações, compras de imóveis e lotes no condomínio Jardim Monte Verde, localizado às margens da BR-040, em Nova Lima. O valor não foi confirmado pela mineradora.

O condomínio fica a menos de 500 metros da barragem B6/B7, que pertence ao complexo da Mina Mar Azul. A poucos metros dali, do outro lado da rodovia, fica a Mina Capão Xavier. A atividade no local provocou trincas e rachaduras em casas de luxo. Então, a Vale comprou algumas unidades afetadas pelos danos estruturais e, mais tarde, resolveu adquirir todo o empreendimento.  

Você pode gostar também:

RECENTES

Veja também sobre: