Alzheimer: O cuidado com a saúde não deve ser esquecido

0

A doença de Alzheimer é um transtorno mental e comportamental, sendo a forma mais comum de demência, a qual é caracterizada por um declínio progressivo das funções cognitivas, o que diminui a independência dos pacientes portadores à medida que a doença avança.

A progressão da doença de Alzheimer ocorre por fases, as quais podem ser divididas em leve, moderada e grave. Cada fase apresenta sintomas característicos que, progressivamente, resultam em mudanças tanto na vida da pessoa com a doença, bem como na de seus familiares.

Na fase leve, podem ocorrer alterações como perda de memória recente, problemas de linguagem e raciocínio, desorientação no tempo e no espaço, dificuldade na tomada de decisões, perda de iniciativa e motivação, sinais de depressão, agressividade, diminuição do interesse por atividades e passatempos.

Na fase moderada, ocorre um maior déficit de memória, podendo o doente esquecer nomes de pessoas próximas e fatos importantes do cotidiano. Nesta fase inicia-se a maior dependência de terceiros, visto que o portador de Alzheimer passa a necessitar de ajuda na execução de atividades importantes como cozinhar, cuidar da casa e realizar higiene pessoal. Outros sintomas característicos dessa fase são os pensamentos sem fundamentos e alucinações (ver pessoas ou ouvir vozes).

Na fase grave, ocorre perda gravíssima da memória, podendo ocorrer incapacidade de reconhecimento de pessoas, objetos e lugares familiares. Ocorre ainda dificuldade de alimentação e locomoção. O paciente inicialmente apresenta necessidade de auxílio para caminhar e posteriormente pode chegar ao estágio de ser dependente de cadeira de rodas ou ficar acamado.

Embora sejam conhecidos os sintomas característicos, o diagnóstico de Alzheimer deve ser feito por um profissional, visto que pode-se observar no processo de envelhecimento um comprometimento cognitivo leve sem relação com a  Doença de Alzheimer, o qual nem mesmo evoluirá para a demência.

A adesão ao tratamento e adequação do estilo de vida podem retardar a progressão da doença. Além do tratamento farmacológico, atividades de estimulação cognitiva, social e física como atividades para memória, o contato afetuoso com familiares e atividade física e/ou fisioterapia, podem ser utilizadas como maneiras de favorecer a funcionalidade cerebral e proporcionar maior qualidade de vida ao doente, visto que não existe, ainda, cura conhecida.

O estresse oxidativo é fator importante no desenvolvimento do Alzheimer, portanto, a adoção de uma dieta antioxidante, rica em nutrientes como vitaminas C, E, e selénio, pode ser benéfica tanto na prevenção como no declínio da progressão da doença. O déficit de vitaminas do complexo B, especialmente a B1, B2, B6, ácido fólico e vitamina B12 está associado ao aumento dos níveis de homocisteína (a homocisteína é um aminoácido que quando presente no tecido cerebral atua como uma neurotoxina, estando relacionada ao desenvolvimento do Alzheimer) e a déficits cognitivos, portanto essas vitaminas podem auxiliar na prevenção  do Alzheimer.  Todos esses nutrientes podem ser encontrados em alimentos como frutas, vegetais, carnes, laticínios, etc., dessa forma uma refeição completa e equilibrada é essencial para prevenção, bem como tratamento da doença.

Além da preocupação com a oferta de nutrientes, o cuidador da pessoa com Alzheimer em estágio já avançado deve buscar estimular o ato alimentar do doente, considerando sempre a necessidade de modificação da consistência da dieta, de modo a facilitar a deglutição, bem como evitar misturar os alimentos, a fim de que o sabor de cada componente da refeição seja sentido separadamente, exercitando assim a memória alimentar.

O Alzheimer é uma doença que envolve o portador e toda a sua família, sendo “cuidado” a palavra chave para esse período de tamanha dependência. Todas as alternativas que possivelmente possam beneficiar o estado de saúde do portador devem ser consideradas. A qualidade de vida deve ser o objetivo principal, visando proporcionar ao doente condições para lidar com suas dificuldades e fragilidades sem perder seu bem estar e autonomia.

Franciele Santana - Nutrição e Alimentação
A melhor forma de ampliar o conhecimento é por meio do compartilhamento. São pequenas atitudes individuais que podem resultar em grandes mudanças na sociedade em que vivemos. Meu objetivo é contribuir para um mundo mais saudável, onde prevaleça a prevenção e manutenção da saúde, diminuindo assim o número de doenças e agravos; acredito que a nutrição seja um método eficiente na obtenção da qualidade de vida. Nutricionista, natural de Ouro Preto/MG, e uma admiradora da arte da escrita, almejo proporcionar saúde compartilhando meus conhecimentos de modo a agregar melhorias na vida do maior número de pessoas possível.

Leia também:

* Esse texto é um artigo de opinião do colunista e pode não representar a posição do portal Mais Minas sobre o assunto.