Ultimate magazine theme for WordPress.

Polícia Civil prende 21 investigados por tráfico de drogas e homicídio no Sul de Minas

Vinte e uma prisões efetuadas e 37 mandados de busca e apreensão cumpridos. Esse foi o resultado da Operação “Archangelus”, realizada pela Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG), nesta quarta-feira (2), nas cidades de Perdões, Santo Antônio do Amparo, Lavras e Nepomuceno, no Sul do Estado. Os policiais também apreenderam drogas, dinheiro, veículos e aparelhos celulares. O cumprimento dos mandados judiciais é desdobramento de uma investigação de tráfico de drogas e homicídios na região.

As apurações apontam, ainda, que os alvos também são suspeitos de corrupção de menores e de integrar uma organização criminosa. De acordo com o Delegado Regional da PCMG em Lavras, Josias Moreira Giffoni, o trabalho investigativo começou há pouco mais de um ano, em setembro de 2018, após a Delegacia de Polícia Civil em Perdões desarticular a primeira geração do grupo em questão. Na ocasião, mais de dez investigados foram presos e indiciados pela prática de crimes similares.

Crédito da foto: PCMG

Giffoni explica que, ao longo dos 13 meses de investigações, foi possível esclarecer a função de cada um dos suspeitos na organização criminosa. “Os trabalhos realizados comprovaram, ainda, que boa parte da droga aprendida pela força policial em Perdões era distribuída pelos investigados, os quais captavam adolescentes infratores e os aliciava para a guarda, distribuição e venda varejista de droga, além de incentivá-los à prática de crimes violentos, visando o domínio de ponto de vendas e a manutenção do poder na localidade”, completa.

O nome de operação faz alusão ao anjo da mais alta ordem na hierarquia celeste, isso porque o líder da organização criminosa investigada se chama Gabriel. Participaram do cumprimento das medidas cautelares cerca de 150 policiais civis das unidades do 6º Departamento de Polícia Civil em Lavras, do apoio aéreo e do canil da PCMG, além da colaboração de agentes penitenciários.

* Com informações da Polícia Civil de Minas Gerais

Comentários do Facebook