Juiz determina saída de Lula da prisão

A Justiça Federal do Paraná determinou a soltura imediata do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nesta sexta-feira (8). O juiz Danilo Pereira Jr., da 12ª Vara Criminal Federal de Curitiba, aceitou o pedido de defesa do ex-presidente da República, que se baseia na decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que proíbe a prisão em razão de condenação pela segunda instância.

O Instituto Lula publicou em suas redes sociais o alvará de soltura do ex-presidente, leia na íntegra:

O pedido de soltura imediata aconteceu na manhã desta sexta-feira (8), pelo advogado Cristiano Zanin, que defende o ex-presidente da República. A quebra da pena provisória de Lula foi feita pelo Supremo Tribunal Federal (STF), após uma condenação em segunda instância.

As primeiras informações, vieram do jornalista Marcelo Auler, do “Jornalistas pela Democracia”, e logo em seguida o Deputado federal pelo PT, Rogério Correia, publicou em sua rede social um tweet de “urgência” anunciando a possível soltura.

Outros políticos presos, como Eduardo Azeredo (ex-governador de Minas Gerais) e o ex-ministro José Dirceu, também já pediram liberdade com base na recente decisão do STF.

A repercussão nas redes sociais

No twitter, a hashtag #LulaLivreAgora está na primeira colocação dos assuntos mais comentados da rede social. Veja a repercussão entre os internautas:

A prisão de Lula

A prisão de Luiz Inácio Lula da Silva ocorreu no dia 7 de abril de 2018, após o ex-presidente se entregar à Polícia Federal (PF) no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo.

Lula estava cumprindo a pena em Curitiba, no prédio da Superintendência Regional da PF no Paraná. Ele foi o primeiro ex-presidente do Brasil a ser preso por causa de uma condenação por crime comum (corrupção passiva e lavagem de dinheiro). Antes dele, outros seis ex-presidentes do país foram presos, mas todos por motivos políticos.

LEIA MAIS