Angelo Oswaldo e as perspectivas de um quinto mandato

Votei em Angelo Oswaldo na última eleição. Meu partido (PT) apoiou Júlio Pimenta. Meu desejo era que tivéssemos lançado candidatura própria. Porém, a falta de coragem e o apego a cargos foram determinantes para influenciar quem deveria decidir. Desde 1996 não temos uma candidatura de esquerda na cidade.

Exerci cargo comissionado na Prefeitura entre junho de 2005 e outubro de 2007 (exonerado pelo rompimento do PT com Angelo). Ajudei na realização do maior concurso público de Ouro Preto em 2007 (17 mil inscritos) e tive breve passagem como Secretário de Educação (2 meses) para auxiliar na organização administrativa da pasta.

Ser transparente é melhor para opinar. Pois bem, o que esperar deste quinto mandato do Prefeito Angelo Oswaldo? Quinto? Quinto sim senhor. Omitir que o atual prefeito foi o grande apoiador de Júlio Pimenta nas eleições de 2012 e 2016 não é justo com o leitor.

É preciso lembrar que a maioria do grupo político que participou da gestão Júlio Pimenta era aliada política de Angelo Oswaldo. Lembramos também que o “rompimento” deu-se somente no final de 2019. Então, Angelo também é responsável pelo mandato de Júlio. Responsável pela vitória de José Leandro em 2012 ao brigar com seu grupo político para favorecer Júlio Pimenta. Deu no que deu.

Ao analisar o secretariado e cargos comissionados do atual Governo, percebemos várias figurinhas que participaram ativamente da gestão Júlio Pimenta. Tem Secretário que é tão artista que fez vídeo fazendo juras de amor à Júlio Pimenta e depois virou coordenador da campanha do Angelo. Este merece até pedir música no Fantástico pelas participações em todas as ultimas administrações (José Leandro, Júlio Pimenta e Angelo Oswaldo).

Por outro lado é salutar para análise crítica de qualquer Administração permitir que os novos mandatários tenham tempo de apurar a situação atual do Executivo e iniciar a aplicação de seu plano de governo. E isto não se faz com menos de um ano.

Aliás, ao ler o Plano de Governo de Angelo Oswaldo podemos auferir algumas informações relevantes. Saúde, Turismo e Cultura possuem destaque (são áreas bem avaliadas em suas anteriores administrações). Desenvolvimento econômico é inédita e espera-se algo que contribua para que nos deixe menos dependente financeiramente da mineração. A conferir.

Não há uma linha sobre gestão administrativa ou a relação com servidores públicos. Isto é de fato preocupante. Fala-se muito da fiscalização e revisão do contrato da SANEOURO. Mas há um absoluto silêncio quanto a fiscalização da ROTA REAL e da empresa de lixo. Os mesmos erros serão repetidos? Aguardemos.