Ultimate magazine theme for WordPress.

Mobilizados, moradores impedem hidrometração nas casas do bairro Vila Aparecida, em Ouro Preto

A hidrometração em Ouro Preto continua gerando polêmicas. Nesta semana, alguns moradores do bairro Vila Aparecida impediram a instalação dos equipamentos, que medem a quantidade de água consumida, em algumas residências. Eles alegam ter algumas ilegalidades nas instalações que estão sendo feitas no local, como o fato do número de hidrômetros não corresponder à quantidade de residências dos lotes referidos e que há caixas d’água que não estão preparadas para receber os hidrômetros. Além disso, os residentes pedem acesso às chaves dos hidrômetros instalados.

Representantes do bairro Vila Aparecida se encontraram com os funcionários da Saneouro em frente à igreja do bairro para explicar o motivo do impedimento da instalação dos hidrômetros e explanar as suas reivindicações.

Campanha Unimed

Por conta desses apontamentos feitos pelos moradores, a colocação dos hidrômetros no bairro ficará suspensa por 30 dias. No entanto, a Saneouro, empresa responsável pelo abastecimento de água e tratamento de esgoto em Ouro Preto, salientou que todas as ações da mesma estão de acordo com o regulamento dos serviços prestados na cidade e seguem os prazos e serviços prestados no contrato feito com o Município.

Além disso, a Saneouro defende a hidrometração dizendo que o hidrômetro é um importante equipamento para o uso consciente da água evitando um desperdício e que permite registrar o consumo e a cobrança justa. A empresa explica que nos locais em que uma única pena abastece mais de um imóvel, é preciso que se faça uma solicitação para que haja a individualização nos pontos de atendimento.

LEIA MAIS:  Vereador Vander Leitoa, de Ouro Preto, é alvo de nota de repúdio por entidade que defende atingidos da mineração

Nas próximas semanas ocorrerão reuniões com as comunidades para ouvir a população e apresentar o projeto da empresa, respondendo os questionamentos dos moradores. Na Vila Aparecida esse contato entre Saneouro e o bairro ocorrerá na próxima quarta-feira (24).

Ameaças a trabalhadores da Saneouro

Durante a segunda reunião da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), que investiga o processo de chegada da Saneouro na Cidade Patrimônio através do contrato de concessão, o vereador Wanderley Kuruzu revelou ter recebido registros de possíveis ameaças de moradores dos distritos de Rodrigo Silva e Antõnio Pereira a funcionários da Saneouro no momento de instalar os hidrômetros, envolvendo, inclusive, utilização de arma de fogo e foice. No entanto, a empresa disse que não há nenhum registro de ameaças e que já houve reunião com a população desses lugares, assim como haverá com a comunidade de Vila Aparecida, bairro da sede de Ouro Preto.

A CPI, inclusive, pede a paralisação da hidrometração imediata na cidade de Ouro Preto, a fim de extinguir qualquer chance de cobrança do consumo de água enquanto houver a investigação por parte da comissão, além de evitar esses possíveis contrapontos no processo de instalação dos hidrômetros.

Inscreva-se para RECEBER diariamente uma lista com as nossas principais notícias. É GRATUITO!

Não enviamos spam! Leia nossa política de privacidade para mais detalhes.

COMENTÁRIOS