Servidora que denunciou racismo na Prefeitura de BH é exonerada

A gerente de Prevenção à Violência da Secretaria Municipal de Segurança e Prevenção de Belo Horizonte (SMSP), Etiene Martins, que no final de julho denunciou ter sido alvo de racismo e omissão na Prefeitura Municipal de Belo Horizonte (PBH), foi exonerada de seu cargo.  A saída da servidora foi oficializada na última quarta-feira (18) no Diário Oficial do Munícipio (DOM).

No dia 31 de julho, Etiene relatou em suas redes sociais ter passado por episódios de racismo dentro da administração municipal.  De acordo com o texto, a funcionária pública teria ouvido de uma guarda municipal “preto bom é preto morto”. “Há um mês eu oficializei na Secretaria de Segurança e Prevenção, lugar esse onde eu trabalho mais uma queixa de racismo institucional. Mais uma por que, no mês de novembro eu havia oficializado uma queixa na corregedoria da SMSP contra um guarda municipal chamado Luzardo que me disse a seguinte frase “Preto bom é Preto Morto” depois de seis meses a corregedoria concluiu que a fala do Guarda não configura dolo, mas sim fala inapropriada no local de trabalho”, lamentou.

Ela ainda afirmou ter recebido um e-mail de uma colega de trabalho que dizia que “lugar de negra é limpando o chão”.  “Um dia depois de ter feito o boletim de ocorrência a minha chefia imediata a Diretora de Prevenção Social ao Crime e à Violência Márcia Cristina Alves me manda esse e-mail (que printei)”, escreveu. O print também foi postado por Etiene.

Em entrevista ao site BHAZ, a ex-servidora afirmou acreditar que sua saída aparece como uma solução encontrada pela prefeitura para dar fim à denúncia.

PBH declara que foi Etiene quem pediu a exoneração e ex-servidora nega

A Prefeitura Municipal de Belo Horizonte declarou que foi a própria servidora quem pediu a exoneração. Tal fato também já havia sido relatado por ela em sua publicação em julho. “Eu já cansada de tudo isso foquei no trabalho e fiz vistas grossas, mas chega uma hora que a gente não dá conta e entreguei junto ao meu pedido de exoneração esse e-mail”.

Etiene, por sua vez, discordou justificando que geralmente, quando um servidor pede exoneração o ato é publicado como “exonera a pedido”. Já quando o funcionário é exonerado por decisão da prefeitura, é escrito apenas “exonera’”.