Belo HorizonteCrimesPolítica

Vereador do PSL confessa que desviava parte de salário de assessores em BH

Segundo investigações, Cláudio Duarte teria embolsado cerca de R$ 1 milhão indevidamente.

Após um período de dez dias na prisão, o vereador do PSL Cláudio Duarte admitiu que desviava para sua conta parte do salário de seus assessores na Câmara Municipal de Belo Horizonte.

Duarte confessou o crime durante interrogatório para a Polícia Civil. É a primeira vez que se tem notícia de que um parlamentar assumir envolvimento no esquema apelidado de “rachadinha”, em que os assessores são obrigados a devolver parte de seus salários.

Na investigação, um dos casos revelados é de um assessor lotado no gabinete de Duarte com salário de R$ 11 mil, mas que, em depoimento, afirmou que devolvia 90% do salário ao vereador e ficava com apenas R$ 1mil.

O parlamentar permaneceu em prisão temporária até a meia-noite da última quinta-feira, 11 de abril, e foi então liberado para deixar a penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte.

Também detido temporariamente, o chefe de gabinete de Duarte, apontado como responsável pela arrecadação do dinheiro repassado pelos assessores, também foi liberado da prisão. Ele também confessou o crime aos policiais.

A Justiça determinou, no entanto, que Duarte permaneça afastado do cargo na Câmara Municipal por mais 50 dias. O vereador e o chefe de gabinete ficaram dez dias presos.

De acordo com a investigação, Duarte embolsou cerca de R$1 milhão dos salários dos assessores.  Estima-se que o inquérito que incrimina o parlamentar e seu assessor seja concluído em breve.

Facebook Comentários

Etiquetas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios