Banda baiana denuncia racismo em decoração de hotel em BH

Por

A banda baiana Àttøøxxá estava em Belo Horizonte para se apresentar na Virada Cultural no último domingo (21) quando foram surpreendidos pela decoração do hotel em que estavam hospedados. Eles se indignaram com o racismo presente nos quadros. Os quartos estavam decorados com quadros que retratavam a escravidão. Em um deles, é possível ver uma mulher negra levando um tapa na cara, em outro, um outro tomando chibatadas e negros carregando mulheres brancas. Nas redes sociais, os integrantes da banda mostraram sua revolta com a situação.

Em uma transmissão ao vivo feita no Instagram da banda, eles contaram a recepção, retiraram os quadros e os colocaram no corredor, “Pega a visão. Insulto à nossa raça. Se for se hospedar nesse hotel, essa é a visão que vocês vão ter. A decoração é racista”, dizem. Veja um trechos do vídeo:

View this post on Instagram

Banda Attooxxa denuncia racismo em hotel (parte 1)

A post shared by Maria Clara Neide (@mariaclaraneide) on

View this post on Instagram

Banda Attooxxa denuncia racismo em hotel (parte 2)

A post shared by Maria Clara Neide (@mariaclaraneide) on

A revista Marie Claire entrou em contato com o cantor Raoni, um dos vocalistas da banda, e ele lamenta a situação “Chegamos ontem à noite cansados, deitamos pra um cochilo e percebemos depois os quadros. Toda a equipe está dividida em cinco quartos e tinham em todos quadros que mostravam um período de escravidão, homens negros carregando uma mulher branca, um homem negro sendo chibatado”, relata.

Raoni ainda completa “Ligamos na recepção e não tinha gerente no momento, então tiramos os quadros dos quartos e pela manhã eles não estavam mais no corredor. Eram cinco ou seis quadros”. “Ficamos tristes com essa situação, em pleno século XXI ainda vemos este tipo de ‘decoração’. Alguém que acha normal esses quadros num hotel, é provavelmente alguém que ainda aprova esses atos. Resolvemos gravar e mostrar para que as pessoas percebam o quanto ainda há preconceitos e racismo disfarçado”, ressalta.

A assessoria de imprensa da banda se posicionou dizendo que os integrantes da banda ficaram “consternados e se sentiram extremamente ofendidos e abismados com a exploração do uso destas imagens, que alimentam o racismo estrutural ao qual estamos submetidos.”

Os integrantes envolvidos disseram que extrapolaram ao chutar os quadros, mas que a principal intenção era a de denunciar o racismo presente na decoração do hotel. Não se sabe se foi feito boletim de ocorrência.

Na manhã desta segunda-feira (22), o Hotel Dayrrel emitiu uma nota sobre o ocorrido, informando que lamenta que “alguns hóspedes tenham se sentido ofendidos com certas gravuras inspiradas na obra de Debret”.

View this post on Instagram

COMUNICADO.

A post shared by Dayrell Hotel (@dayrellhotel) on

Virada Cultural

A banda, que tocou neste domingo (21) na Virada Cultural na praça da Estação, falou sobre o ocorrido. Durante o show, eles pediram para que as pessoas cuidassem uma das outras.

Após a apresentação no evento, Rafa Dias, outro integrante da banda, também deu a sua opinião “A gente acredita que as imagens estivessem em um museu, mas não, estavam decorando o hotel e sobre as nossas camas. Você vê a decoração. A gente falou com o coara do hotel e falamos que não iríamos dormir com eles. Gente, atenção, esse período já passou. Quem se orgulha disso? Ninguém se orgulha. Vamos cuidar mais um dos outros e quem tá do nosso lado. Vamos dar as mãos”, comentou.

De acordo com a assessoria de comunicação do evento, a própria banda fez a escolha do hotel.

 

Deixe seu comentário

Tags :

Postado em 22 de julho de 2019