Benefício do INSS de 1 salário mínimo: como conseguir?

Por Rodolpho Bohrer
0 comment

Os benefícios sociais desempenham um papel crucial na promoção da justiça social e da igualdade, ao fornecerem um apoio financeiro necessário para indivíduos ou famílias que enfrentam dificuldades econômicas. Eles funcionam como uma rede de segurança que impede que essas pessoas caiam na pobreza extrema e lhes permite melhorar sua qualidade de vida. Além disso, eles também promovem a inclusão social de grupos marginalizados, permitindo que eles participem mais plenamente na sociedade. Um exemplo importante de um desses benefícios é o Benefício de Prestação Continuada (BPC).

Benefício do INSS de 1 salário mínimo: como conseguir?
Imagem ilustrativa

O BPC, estabelecido na Lei Orgânica da Assistência Social (Loas), assegura o pagamento de um salário-mínimo mensal ao idoso com 65 anos ou mais, ou à pessoa com deficiência, independentemente da idade. No caso de pessoas com deficiência, é necessário que esta condição gere impedimentos de natureza física, mental, intelectual ou sensorial de longo prazo (com duração mínima de 2 anos), que os privem de participar plenamente e efetivamente na sociedade, em igualdade de condições com as demais pessoas.

Importante esclarecer que o BPC não é uma aposentadoria. Para ter direito a este benefício, não é necessário ter contribuído para o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Diferentemente dos benefícios previdenciários, o BPC não concede 13º salário e não deixa pensão por morte. Para se tornar elegível ao BPC, é requerido que a renda por pessoa do grupo familiar seja igual ou inferior a 1/4 do salário-mínimo (veja como calcular a renda per capita familiar).

Além de cumprir o requisito de renda, as pessoas com deficiência também são submetidas a uma avaliação médica e social realizada pelo INSS. Portanto, o BPC desempenha um papel essencial na mitigação da pobreza e na promoção da inclusão social, especialmente para idosos e pessoas com deficiência.

Em suma, o Benefício de Prestação Continuada (BPC) continua sendo uma fonte vital de apoio para idosos e pessoas com deficiência no Brasil. De acordo com dados mais recentes do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), o BPC atende a mais de 4,6 milhões de brasileiros. Deste total, cerca de 2,0 milhões são idosos e 2,6 milhões são pessoas com deficiência.

Estes números reforçam a importância fundamental deste benefício na garantia de uma vida digna e na promoção da inclusão social destas pessoas. Apesar de não ser um substituto para uma política de inclusão mais ampla e integrada, o BPC desempenha um papel essencial na mitigação da pobreza e na promoção da igualdade de oportunidades. Evidencia a necessidade contínua de políticas públicas robustas e eficazes voltadas para a proteção social dos mais vulneráveis na sociedade brasileira.

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. aceitar LER MAIS