Ultimate magazine theme for WordPress.

Especial Campeonato Mineiro 2020: Tupynambás, o “Baeta” de Juiz de Fora

Saiba como um negociação entre Porto-POR e Real Madrid-ESP, ajudou o time a voltar ao futebol profissional e à elite do futebol mineiro

Na próxima semana se iniciará o Campeonato Mineiro de 2020 – Módulo I. Esta será a 106ª edição daquele que é um dos mais tradicionais estaduais do país. E para iniciar a temporada nas Minas Gerais, o Mais Minas preparou uma série de matérias especiais sobre os clubes que disputarão a divisão principal do torneio. E para abrir a contagem das equipes teremos o Tupynambás, o centenário “Baeta“, de Juiz de Fora.

Fundado em 15 de agosto de 1911 e tendo atualmente 108 anos de idade, o Tupynambás, ou “Baeta”, como é carinhosamente conhecido, é um dos mais tradicionais times de Juiz de Fora, cidade da Zona da Mata Mineira, e tem como maior rival o Tupi, com quem faz o clássico “Tu-Tu”.

Especial Campeonato Mineiro 2020: Tupynambás, o "Baeta" de Juiz de Fora
O Tupynambás jogou contra o Atlético diante de um Mineirão cheio, no Campeonato Mineiro de 2019 – Crédito da foto: Bruno Cantini/Atlético

Apesar de sua história centenária e toda tradição, o “Baeta” passou por grandes períodos fora do futebol profissional, alguns nos anos 1990 e outros nos anos 2000. A volta mais recente do Tupynambás para o futebol profissional aconteceu em 2016, após um fato curioso. O clube conseguiu recursos para voltar ao futebol após a venda do lateral-direito Danilo do Porto ao Real Madrid. Ué? Mas como assim? Podemos explicar.

Porto, Real Madrid e Tupynambás: o que une estas equipes?

Existe uma lei da Fifa, chamada mecanismo de solidariedade, que garante que times formadores recebam parte de transferências de jogadores que atuaram na equipe entre os 12 e 23 anos. Portanto, 5% do valor total das negociações são para esses fins, e os valores são divididos de acordo com o tempo de clube.

Sendo assim, quando Danilo deixou o Porto-POR para o Real Madrid-ESP, o Tupynambás recebeu cerca de 1% (aproximadamente de R$ 1,4 milhão, segundo o Globoesporte.com) dos 31,5 milhões de euros (R$ 108,5 milhões na cotação da época), já que o lateral jogou alguns anos na categoria infantil da equipe.

Os valores recebidos serviram para que a diretoria do “Baeta” quitasse dívidas trabalhistas, conseguisse as Certidões Negativas de Débito (CNDs) e regularizasse sua situação com a Federação Mineira de Futebol (FMF) e a CBF para retornar ao futebol profissional. A volta do clube aconteceu em 2016, quando foi campeão da terceira divisão mineira.

Danilo Tupynambás
Crédito da imagem: Tupynambás FC/Divulgação

Mais dinheiro

E ão foi só uma vez que Tupynambás lucrou com Danilo. Na primeira grande venda do atleta, do Santos ao Porto, o “Baeta” recebeu cerca de R$ 115 mil. Na negociação entre Porto-POR e Real Madrid-ESP, aproximadamente R$ 1,4 milhão. Já na transferência do Real Madrid-ESP para o Manchester City-ING, o Alvirrubro teve direito a mais de R$ 1,1 milhão. E na última venda, do City para a Juventus-ITA, o clube voltou a receber valores referentes aos 37 milhões de euros pagos pela equipe italiana aos ingleses.

Ou seja, para o Tupynambás é muito interessante que Danilo siga sendo um “andarilho da bola” e continue movimentando grandes negociações.

Danilo Nedved
Danilo assina contrato ao lado de lenda do futebol Pavel Nedved – Crédito da foto: Reprodução/Site Oficial/Juventus

Volta à elite

Após voltar ao futebol profissional, em 2016, o Tupynambás ascendeu rapidamente e em 2018 conseguiu o acesso ao Módulo I, primeira divisão, do Campeonato Mineiro. Sendo assim, após 49 anos, o “Baeta” voltou a jogar na elite do futebol estadual, tendo terminado o torneio em 8° lugar, sendo eliminado nas quartas de final pelo Atlético, mas se garantindo na divisão principal por mais um ano.

A boa colocação no estadual também garantiu que o time tivesse o direito de disputar, pela primeira vez em sua história, a Série D do Campeonato Brasileiro.

Estádio

O Tupynambás manda seus jogos no Estádio Municipal Radialista Mário Helênio, com capacidade liberada para 31.863 pessoas, em Juiz de Fora.

Estádio Municipal Radialista Mário
Estádio Municipal Radialista Mário Heleno – Crédito da foto: Patrocinio Photo Studio

Apelido

A denominação “Baeta”, teria vindo de um pássaro de plumagem vermelha, encontrado exclusivamente no Brasil, conhecido por Tiê-baeta ou Tiê-sangue. No livro “A Epopeia dos Vencedores – A Saga do Futebol de Juiz de Fora”, do escritor Halber Alvim Pedrosa, Baeta seria uma referência a um tecido vermelho, parecido com a cor da camisa do clube, muito utilizado no início do século passado.

Destaques para 2020

A equipe comandada por Paulo Campos, que segue no clube após comandá-lo em parte de 2019, tem como principal destaque o veterano atacante Ademilson, folclórico centroavante do futebol mineiro, que com 45 anos vai disputar sua quinta temporada defendendo o Tupynambás.

Além de Ademilson, o “Baeta” conta com o zagueiro Diego Augusto, de 28 anos, revelado na Portuguesa-SP, onde foi campeão da Série B de 2011 e que acumula passagens no interior paulista, onde atuou por Rio Claro (SP), Ituano (SP), Mogi Mirim (SP) e Sertãozinho (SP).

Outro jogador que vem com grandes expectativas é o atacante Sávio Moreira, de 24 anos, campeão amazonense e vice-campeão da Série D de 2019 com o Manaus (AM), e destaque da competição.

Para finalizar, se espera muito também de Lúcio Souza, meia e lateral experiente, de 40 anos, com passagens por Palmeiras, São Paulo, Grêmio e Hertha Berlin (ALE). O jogador tem no currículo um título do Brasileirão Série A pelo São Paulo e uma Série B, pelo Palmeiras.

Especial Campeonato Mineiro 2020: Tupynambás, o "Baeta" de Juiz de Fora
Lúcio teve passagem pelo Grêmio, entre 2010 e 2011 – Crédito da foto: Tatiana Lopes

Elenco

Confira agora o elenco completo do Tupynambás para a disputa do Módulo I do Campeonato Mineiro de 2020:

Goleiros: Bruno Hargreaves, Marcos Gato, Renan Rinaldi e Túlio*;

Laterais-direito: Graffite, Henrique, João Victor e Lucas Santos*;

Laterais-esquerdo: Michel e Lúcio;

Zagueiros: Adriano, Diego Augusto, Sílvio e Pedro Henrique*;

Volantes: Allan, Léo Franco, Léo Salino e Vinícius Leonel;

Meio-campistas: Gabriel Fernando, Raphael Augusto, Matheus Batista*, Gabriel Sá, Bruno Vieira e Ramon Willian*;

Atacantes: Ademilson, Felipe Cuero, Sávio, Vanger e Kristian*.

Treinador: Paulo Campos

* Atletas oriundos da equipe sub-20

Expectativas e objetivos

A reportagem do Mais Minas conversou com Paulo Campos, treinador do Tupynambás, que falou sobre as expectativas do time para a participação no Campeonato.

“A expectativa é a melhor possível principalmente por estar disputando pelo segundo ano consecutivo, o Campeonato Mineiro da série A, um dos mais fortes do país. A pré-temporada começou no início de dezembro e terminará no próximo sábado (18). Atletas retornaram ao clube, outros foram contratados de acordo com as condições financeiras do clube, e com esta mescla de atletas experientes e outros jovens, esperamos fazer uma boa competição e tentar uma posição de honra que nos permita sonhar mais alto a cada ano, além da participação pela primeira vez na história, de uma competição nacional à partir de maio”, disse o comandante alvirrubro.

Paulo falou ainda sobre os objetivos do “Baeta” no estadual.

“Serão jogos dificílimos contra equipes fortes. Mas seremos corajosos, tentaremos ser uma equipe equilibrada, e que possamos alegrar nossos torcedores do ‘Baeta’ e da cidade de Juiz de Fora. Esse é o nosso objetivo. Esperamos alcançá-lo”, finalizou.

O Tupynambás estreia no Campeonato Mineiro 2020 na quarta-feira (22), às 20h, contra a Tombense, em Juiz de Fora.

Leia também: Especial Campeonato Mineiro 2020: Boa Esporte, o clube polêmico de Varginha

Comentários do Facebook