Ouro Preto retorna à onda branca do programa Minas Consciente e reduz reabertura do comércio

por Rômulo Soares

Ouro Preto, recentemente, aderiu ao programa Minas Consciente e, com isso, chegou a autorizar a abertura de comércios até da onda amarela, que representa às atividades de segunda fase. Entretanto, o município voltou atrás e retornou à onda branca, que corresponde à primeira fase, devido ao número crescente de casos confirmados de coronavírus na cidade.
Com isso, em Ouro Preto, poderão reabrir seguindo os protocolos de higienização, formação de condutores; produtos agrícolas; plantas e floriculturas; móveis, tecidos e afins; outras atividades assessórias. Além disso, todos os estabelecimentos que façam comércio de serviços considerados essenciais.
Dentre os principais comércios afetados pela mudança de onda, estão: papelarias, lojas de discos, revistas e livros, vestuário, departamento de variedades e salões de beleza e estética.
O uso da máscara é obrigatório em todos os espaços públicos ou de uso coletivo, equipamentos de transporte público coletivo e estabelecimentos comerciais, industriais e de serviços em Ouro Preto. Os estabelecimentos públicos e os particulares deverão impedir a entrada e a permanência de pessoas que não estiverem utilizando máscara. Isso de acordo com a lei sancionada no dia 4 de junho.

Coronavírus em Ouro Preto

De acordo com o Boletim Epidemiológico divulgado pela Prefeitura de Ouro Preto nesta sexta-feira (12), há 95 casos confirmados de coronavírus na cidade, sendo 90 por testes rápidos e cinco por PCR. Estão incluídos dentro desses casos dois óbito registrados.
Além disso, há 23 casos em investigação, cinco estão internados no Hospital Santa Casa, sendo três na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e duas em leitos clínicos. Outros 18 pacientes estão em isolamento domiciliar. Já são 174 casos descartados pelo município.

Leia também: