Durante a pandemia da Covid-19, o governo federal disponibilizou o Auxílio Emergencial para famílias de baixa renda. O benefício tinha um valor de R$ 600 para o público em geral e de R$ 1.200 para mães solteiras que eram chefes de família monoparentais.

No entanto, com o fim dos repasses, um Projeto de Lei (PL) de autoria do ex-deputado Assis Carvalho (PT) foi apresentado na Câmara dos Deputados em 2020. O texto do PL propõe a continuidade dos pagamentos do Auxílio Emergencial para as mães de baixa renda que criam seus filhos sozinhas.

Agora, vamos ver quem tem direito a receber esse benefício e qual é o estágio atual do processo de aprovação do projeto.

Quem receberá o benefício de R$ 1.200?

Para poder se inscrever no programa de auxílio emergencial do Governo Federal, é necessário preencher alguns requisitos. São eles:

  • Ter mais de 18 anos de idade;
  • Não estar empregado com carteira assinada;
  • Não ser beneficiário de benefício previdenciário ou assistencial;
  • Ter renda mensal familiar per capita de até meio salário mínimo ou renda mensal familiar total de até três salários mínimos;
  • Estar cadastrado no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico);
  • Não receber seguro-desemprego ou outro programa federal de transferência de renda.

Além disso, é necessário que a pessoa se enquadre em uma das seguintes categorias: ser microempreendedor individual (MEI); contribuinte individual do Regime Geral de Previdência Social que colabora na forma do caput ou do inciso I do § 2º do art. 21 da Lei nº 8.212 de 24 de julho de 1991; ou trabalhadora informal, que esteja empregada, seja autônoma ou desempregada de qualquer natureza, inclusive como intermitente inativa

COMENTÁRIOS
Share.

Redator gaúcho, formando em Jornalismo pela ULBRA-CANOAS. Gosta de tecnologia e da comunicação no seu sentido geral.