Minas Gerais tem 35.639 casos prováveis de Dengue; 646 notificações de Chikungunya e 244 de Zika

Destaques

Número de mortes por coronavírus em Minas Gerais chega a dezessete

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) divulgou, na manhã deste sábado (10), mais um Informe...

Sons of Anarchy: a apaixonante série que une motocicletas, ação e muito drama

O período de isolamento social é uma ótima oportunidade para colocar as séries em dia ou começar a acompanhar...

Zema afirma que primeira parcela será paga para servidores na próxima quarta-feira (15)

O Governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), anunciou ontem (9), em coletiva no Palácio do Planalto, em Brasília,...

Programação de lives desta sexta-feira (10/04); shows na quarentena

Continuando com o trabalho de entreter os brasileiros que estão em casa por recomendação da Organização Mundial da Saúde...

Sexta-feira Santa: memória da Paixão e Morte de Jesus Cristo

Na Sexta-feira Santa, os cristãos relembram o sofrimento e a morte de Jesus. Segundo a tradição bíblica, naquele dia...

A Secretaria de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) divulgou, nesta terça-feira (24) o Boletim Epidemiológico dos casos de Dengue, Zika e Chikungunya no estado. Em 2020, foram registrados 35.639 casos prováveis de dengue em terras mineiras até o momento. Já são dois óbitos confirmados nos municípios de Medina e Carneirinho e 17 mortes ainda estão em investigação.

Já em relação à Febre Chykungunya, foram registrados em 2020, até o momento, 646 casos notificados. Em 2019, uma morte foi confirmada pela doença no município de Patos de Minas, e ainda há um óbito em investigação. Neste ano há ainda a investigação de uma morte na cidade de Campo Belo.

Quanto à Zika, foram registrados 244 casos prováveis, sendo 26 em gestantes, em 2020.

Confira o Boletim Epidemiológico da Dengue, Chicungunya e Zika completo divulgado pela Secretaria de Saúde de Minas Gerais nesta terça-feira (24):

Boletim Nº 170 - 23-03-2020 - Copia

Dengue

Em 2020, foram registrados 35.639 casos prováveis de dengue até o momento em Minas Gerais, de acordo com o Boletim Informativo divulgado pela Secretaria de Saúde de Minas Gerais. Fazendo uma avaliação da incidência acumulada de casos prováveis de dengue neste ano, nota-se 81 municípios com incidência Muito Alta, 27 cidades com Alta incidência, 123 com Média incidência, 383 com Baixa incidência e 293 municípios sem registros de casos prováveis da doença.

Minas Gerais vivenciou quatro grandes epidemias em 2010, 2013, 2016 e 2019. Neste ano, até o
momento, foram notificados 35.639 casos prováveis registrados.

Em 2019, segundo dados do Sistema de Informação dos Agravos de Notificação (SINAN), 2,986 casos foram
classificados como Dengue com Sinais de Alarme e 276 casos foram classificados como Dengue Grave. Em
2020, até o momento, foram 122 casos notificados de Dengue com sinais de alarme e 14 casos foram
classificados como Dengue grave.

Quanto aos óbitos, em 2019, foram confirmados 183 mortes por Dengue e 68 permanecem em investigação. Em 2020,  houveram duas mortes pelo agravo foram confirmados nos municípios de Medina e Carneirinho e 17 óbitos permanecem em investigação.

Febre Chikungunya

Foram registrados 2.800 casos prováveis de Chikungunya em 2019, desse total, 48 gestantes, sendo 12 com confirmação laboratorial. Em 2020, até o momento, houveram 646 casos prováveis, sendo 11 casos em gestantes.

Até 2015 todos os casos eram importados, apenas em 2016 começaram a ocorrer casos de Chicungunya no país, com o maior número de casos prováveis notificados em 2017, com maior concentração nas Unidades Regionais de Saúde (URS’s) de Governador Valadares, Teófilo Otoni, Pedra Azul e Coronel Fabriciano.

Em 2018, houveram casos prováveis de chikungunya localizados nas 13 macrorregiões, com maior
concentração de casos na região Leste, onde está situado o Vale do Aço.

Avaliando a incidência acumulada de casos prováveis de chikungunya em 2020, nota-se um município com
incidência Muito Alta, em Pirapetinga. E ainda, cinco com Média incidência, em Lassance, Tocantins, Monjolos, Pingo d’Água e Santana do Deserto, e 125 municípios com Baixa incidência, além de 722 sem registro de casos prováveis.

Em 2017, o estado de Minas Gerais confirmou 15 óbitos por chikungunya, 12 do município de Governador
Valadares e um nos municípios de: Central de Minas, Ipatinga e Teófilo Otoni. Foram confirmados dois óbitos por chikungunya nos municípios de Coronel Fabriciano e Ipatinga em 2018, mas ainda há um óbito em investigação. Em 2019, foi confirmado um óbito por chikungunya no município de Patos de Minas, e existe um óbito em investigação. E neste ano há uma morte em investigação no município de Campo Belo.

Zika Vírus

Foram registrados, no ano passado, 699 casos prováveis de zika, sendo 158 em gestantes. Já em 2020, até então, foi registrado 244 casos, sendo 26 em gestantes nos municípios de: Antônio Dias (1), Belo Horizonte
(2), Caetanópolis (1), Felixlândia (1), Governador Valadares (1), Ituiutaba (5), Joaíma (1), Juatuba (1), Mirabela
(1) Palmópolis (1), Pará de Minas (1), Resplendor (1), Sabará (1), São Geraldo do Baixio (1), Sarzedo (1),
Tocantins (1), Ubá (1), Uberaba (1) e Uberlândia (1).

Avaliando a incidência acumulada de casos prováveis de zika em 2020, verifica-se um município em Alta
incidência, em Jampruca, um município com Média incidência, em Palmópolis, 55 municípios com Baixa e 796 sem registro de casos prováveis da doença.

Veja também: Sobe para 128 o número de casos confirmados de coronavírus em Minas Gerais

- Advertisement -