BH e RegiãoMinas GeraisUncategorized

Minas Gerais registra 86 mortes por causa da dengue

Na última semana, foram registrados 212 novos casos da doenças no Estado

Somente em 2019, Minas Gerais registrou 423.317 casos prováveis da doença. Ou seja, casos confirmados e suspeitos de dengue, de acordo com a boletim divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), na tarde desta terça-feira (25).

Ainda de acordo com o boletim, são 86 óbitos confirmados. 12 registrados em Belo Horizonte e a cidade mineira com maior número de óbitos é Uberlândia, com 16 casos registrados.

Devido o alto número de registros das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti (dengue, chikungunya e zika), o estado de Minas Gerais está em estado de alerta desde abril. Com isso, o governo consegue mobilizar recursos de forma mais ágil para o combate das doenças.

Essa é a segunda maior epidemia de dengue já registrada no Estado. Segundo a SES, apenas em 2016 houve mais pessoas infectadas: 519 mil.

Com relação a Febre Chikungunya, Minas Gerais registrou 2.510 casos prováveis da doença, com um óbito em investigação. Já em relação à Zika, 1.231 casos prováveis da doença foram registrados. Não há, até o momento, registros de óbito.

Prevenção e sintomas da doença

Como não há vacina ou droga antiviral que combata a doença, o único modo de se prevenir a dengue é combatendo o mosquito Aedes aegypti. Para isso, é preciso manter os locais limpos e se atentar ao acúmulo de água em locais abertos. Isso, evita assim a proliferação do mosquito.

A transmissão acontece pela picada da fêmea do mosquito. E o vírus da dengue não é transmissível de uma pessoa para outra, exceto em casos de “transmissão vertical”. Ou seja, da gestante para o bebê ou por transfusão sanguínea.

Os sintomas da dengue podem variar desde um quadro sem manifestação de sintomas à casos graves com hemorragia e choque, podendo causar a morte do paciente.

Em sua maioria, o primeiro sintoma da dengue é a febre alta, acompanhada de dores de cabeça, no corpo e articulações. Dessa forma, a doença, em muitos casos, não é diferenciada das demais enfermidades. Por isso, consultar um médico são uma das ações fundamentais em casos de suspeita do vírus.

 

Fechar