Comprar uma TV nova pode ser uma decisão difícil, pois existem muitos modelos, marcas, tamanhos e tecnologias no mercado. Além disso, o preço de uma TV pode variar bastante dependendo da época do ano em que se faz a compra. Por isso, é importante saber o que levar em consideração na hora de escolher a TV ideal para o seu perfil e para o seu bolso. Antes de continuarmos a leitura, você pode optar por ler sobre ‘a melhor época do ano para comprar uma TV nova‘ e se aprofundar mais sobre o tema.

Neste artigo, vamos apresentar alguns critérios que podem te ajudar a comprar uma TV com mais segurança e satisfação. São eles:

  • O tipo de uso da TV
  • O tamanho da tela
  • A resolução da imagem
  • O tipo de tela
  • A conectividade
  • O sistema operacional
  • Os recursos extras

Vamos explicar cada um deles a seguir.

O tipo de uso da sua tv nova

A tv é o principal eletrodoméstico utilizado para o streaming
A tv é o principal eletrodoméstico utilizado para o streaming

O primeiro passo para comprar uma televisão é definir o seu tipo de uso. Você quer uma TV para assistir filmes e séries com qualidade de cinema? Você quer uma TV para jogar videogames com alta performance? Você quer uma TV para acessar aplicativos e serviços de streaming? Você quer uma TV para usar como monitor de computador?

Cada tipo de uso exige uma configuração diferente da TV, que pode influenciar no preço e na qualidade do produto. Por exemplo, se você quer uma TV para assistir filmes e séries, você deve priorizar uma TV com boa resolução, bom contraste, bom ângulo de visão e bom som. Se você quer uma TV para jogar videogames, você deve priorizar uma TV com baixo tempo de resposta, alta taxa de atualização, suporte a HDR e compatibilidade com os consoles. Se você quer uma TV para acessar aplicativos e serviços de streaming, você deve priorizar uma TV com boa conectividade, bom sistema operacional, boa memória e boa velocidade de processamento. Se você quer uma TV para usar como monitor de computador, você deve priorizar uma TV com boa resolução, boa fidelidade de cores, boa entrada HDMI e boa ergonomia.

Conclusão: antes de comprar, pense no que você quer fazer com ela e quais são as suas expectativas em relação ao produto.

O tamanho da tela

O tamanho da tela é um dos fatores mais importantes na hora de comprar um aparelho de televisão, pois ele afeta diretamente a qualidade da imagem, o conforto visual e o espaço ocupado pelo aparelho. Uma tela muito grande em um ambiente pequeno pode causar distorções na imagem, cansaço nos olhos e dificuldade de enquadramento. Uma tela muito pequena em um ambiente grande pode causar perda de detalhes, falta de imersão e necessidade de aproximação.

Para escolher o tamanho ideal da tela, você deve levar em conta dois aspectos: a distância entre a TV e o espectador e a resolução da imagem. A distância ideal varia de acordo com o tamanho da tela, mas uma regra geral é que ela deve ser de pelo menos 1,5 vezes a medida da diagonal da tela. Por exemplo, se a tela tem 40 polegadas, a distância ideal é de pelo menos 60 polegadas, ou seja, 1,5 metros. A resolução ideal também varia de acordo com o tamanho da tela, mas uma regra geral é que ela deve ser de pelo menos 1080p (Full HD) para telas de até 50 polegadas e de pelo menos 2160p (4K) para telas maiores.

Conclusão: antes de comprar, meça o espaço disponível no ambiente onde você vai colocá-la e compare com as medidas dos modelos que você está interessado. Lembre-se de que o tamanho da tela não é o mesmo que o tamanho do aparelho, pois há uma borda ao redor da tela que pode variar de acordo com o design da TV.

A resolução da imagem

A resolução da imagem é a quantidade de pixels que compõem a imagem na tela. Quanto maior a resolução, maior é o nível de detalhes, nitidez e realismo da imagem. A resolução mais comum no mercado atualmente é a Full HD, que tem 1920 x 1080 pixels. No entanto, há modelos mais avançados que têm resoluções superiores, como a 4K, que tem 3840 x 2160 pixels, e a 8K, que tem 7680 x 4320 pixels.

A resolução da imagem é um fator importante na hora de comprar uma TV nova, pois ela influencia na qualidade da imagem, na compatibilidade com os conteúdos e na durabilidade do produto. Uma TV com alta resolução oferece uma imagem mais nítida, mais rica em cores e mais próxima da realidade. Uma TV com alta resolução também é mais compatível com os conteúdos mais recentes, que são produzidos em resoluções cada vez maiores. Uma TV com alta resolução também é mais durável, pois ela tende a ficar menos obsoleta com o tempo.

Conclusão: antes de comprar, verifique a resolução da imagem dos modelos que você está interessado e compare com a resolução dos conteúdos que você costuma assistir. Lembre-se de que a resolução da imagem depende também do tamanho da tela, pois uma tela maior exige uma resolução maior para manter a qualidade da imagem.

O tipo de tela

O tipo de tela é a tecnologia usada para formar a imagem na tela. Há vários tipos de tela no mercado, mas os mais comuns são o LCD, o LED, o OLED e o QLED. Cada tipo de tela tem suas vantagens e desvantagens, que podem influenciar na qualidade da imagem, no consumo de energia e no preço do produto. Veja a seguir as principais características de cada tipo de tela:

  • LCD: é o tipo de tela mais antigo e mais barato, que usa cristais líquidos para filtrar a luz de uma lâmpada fluorescente. O LCD tem como vantagens o baixo consumo de energia, a boa fidelidade de cores e a boa visibilidade em ambientes claros. O LCD tem como desvantagens o baixo contraste, o baixo ângulo de visão e a baixa velocidade de resposta.
  • LED: é o tipo de tela mais popular e mais equilibrado, que usa diodos emissores de luz (LEDs) para iluminar os cristais líquidos. O LED tem como vantagens o alto contraste, o alto ângulo de visão e a alta velocidade de resposta. O LED tem como desvantagens o alto consumo de energia, a baixa fidelidade de cores e a baixa visibilidade em ambientes escuros.
  • OLED: é o tipo de tela mais avançado e mais caro, que usa diodos orgânicos emissores de luz (OLEDs) para formar a imagem diretamente na tela, sem a necessidade de uma fonte de luz externa. O OLED tem como vantagens o altíssimo contraste, o altíssimo ângulo de visão e a altíssima velocidade de resposta. O OLED tem como desvantagens o altíssimo consumo de energia, a baixíssima fidelidade de cores e a baixíssima visibilidade em ambientes claros.
  • QLED: é o tipo de tela mais recente e mais promissor, que usa pontos quânticos para melhorar a qualidade da luz dos LEDs. O QLED tem como vantagens o altíssimo contraste, o altíssimo ângulo de visão e a altíssima velocidade de resposta. O QLED tem como desvantagens o altíssimo consumo de energia, a altíssima fidelidade de cores e a altíssima visibilidade em ambientes escuros.
A QLED é um dos mais modernos tipos de tv atualmente
A QLED é um dos mais modernos tipos de tv atualmente

Conclusão: antes de comprar uma TV nova, verifique o tipo de tela dos modelos que você está interessado e compare com as suas preferências em relação à qualidade da imagem, ao consumo de energia e ao preço do produto.

A conectividade

A conectividade é a capacidade da TV de se conectar com outros dispositivos e com a internet. A conectividade é um fator importante na hora de comprar uma TV nova, pois ela amplia as possibilidades de uso da TV, permitindo acessar aplicativos, serviços de streaming, redes sociais, jogos online, entre outros. A conectividade também permite espelhar a tela do smartphone, do tablet ou do computador na TV, facilitando a visualização de fotos, vídeos, documentos, entre outros.

Para ter uma boa conectividade, a TV deve ter pelo menos as seguintes entradas e saídas:

  • HDMI: é a entrada mais usada para conectar dispositivos de alta definição, como videogames, notebooks, Blu-ray players, entre outros. A entrada HDMI transmite áudio e vídeo em alta qualidade, sem perda de sinal. É recomendável que a TV tenha pelo menos duas entradas HDMI, para poder conectar mais de um dispositivo ao mesmo tempo.
  • USB: é a entrada mais usada para conectar dispositivos de armazenamento, como pendrives e HDs externos. A entrada USB permite reproduzir arquivos de mídia na TV, como fotos, vídeos e músicas. É recomendável que a TV tenha pelo menos uma entrada USB, de preferência do tipo 3.0, que é mais rápida e compatível com mais formatos de arquivos.
  • Wi-Fi: é a conexão sem fio que permite que a TV se conecte à internet e a outros dispositivos na mesma rede. O Wi-Fi é essencial para que a TV possa acessar aplicativos e serviços de streaming, como Netflix, YouTube, Spotify, entre outros. É recomendável que a TV tenha uma conexão Wi-Fi estável e rápida, de preferência do tipo 802.11ac, que é mais moderno e suporta mais velocidade de dados.
  • Bluetooth: é a conexão sem fio que permite que a TV se conecte a outros dispositivos que tenham essa tecnologia, como fones de ouvido, caixas de som, teclados, mouses, entre outros. O Bluetooth é útil para que a TV possa oferecer uma experiência mais personalizada e confortável, sem a necessidade de cabos ou controles remotos. É recomendável que a TV tenha uma conexão Bluetooth de boa qualidade e alcance, de preferência do tipo 5.0, que é mais recente e tem mais recursos.

Conclusão: antes de comprar, verifique as entradas e saídas dos modelos que você está interessado e compare com os dispositivos que você quer conectar à TV. Lembre-se de que a conectividade depende também da qualidade da sua rede de internet e dos seus planos de dados.

O sistema operacional

O sistema operacional é o software que gerencia as funções e os recursos da TV. O sistema operacional é um fator importante na hora de comprar uma TV nova, pois ele influencia na usabilidade, na performance e na segurança da TV. Um bom sistema operacional deve ser fácil de usar, rápido de executar, atualizado de forma constante e protegido de ameaças.

No mercado, há vários sistemas operacionais disponíveis para as TVs, mas os mais populares são:

  • Android TV: é o sistema operacional desenvolvido pelo Google, baseado no sistema Android usado nos smartphones. O Android TV tem como vantagens a grande variedade de aplicativos disponíveis na Google Play Store, a integração com os serviços do Google, como o Google Assistente, o Google Fotos, o Google Cast, entre outros, e a compatibilidade com os dispositivos Android. O Android TV tem como desvantagens a necessidade de uma conta Google para acessar alguns recursos, a ocorrência de alguns bugs e travamentos e a vulnerabilidade a alguns vírus e malwares.
  • WebOS: é o sistema operacional desenvolvido pela LG, baseado no sistema WebOS usado nos smartphones Palm. O WebOS tem como vantagens a interface simples e intuitiva, o controle remoto inteligente chamado Magic Remote, que funciona como um mouse, a plataforma de inteligência artificial chamada ThinQ AI, que permite controlar a TV por voz, gestos ou aplicativo, e a compatibilidade com os dispositivos Apple. O WebOS tem como desvantagens a limitação de alguns aplicativos disponíveis na LG Content Store, a dependência de uma conta LG para acessar alguns recursos e a ocorrência de algumas falhas e lentidões.
  • Tizen: é o sistema operacional desenvolvido pela Samsung, baseado no sistema Tizen usado nos relógios inteligentes da marca. O Tizen tem como vantagens a interface fluida e personalizável, o controle remoto inteligente chamado Smart Control, que reconhece a voz, os gestos e os dispositivos conectados, a plataforma de inteligência artificial chamada Bixby, que permite controlar a TV por voz, e a compatibilidade com os dispositivos Samsung. O Tizen tem como desvantagens a escassez de alguns aplicativos disponíveis na Samsung Apps, a necessidade de uma conta Samsung para acessar alguns recursos e a ocorrência de alguns erros e instabilidades.

Conclusão: antes de comprar, verifique o sistema operacional dos modelos que você está interessado e compare com as suas preferências em relação à usabilidade, à performance e à segurança da TV. Lembre-se de que o sistema operacional depende também da qualidade do hardware e do software da TV.

Os recursos extras

Além dos critérios já mencionados, as TVs modernas oferecem uma série de recursos extras que podem tornar a sua experiência de entretenimento mais completa e divertida. Alguns desses recursos são:

  • HDR: é a sigla para High Dynamic Range, ou Alto Alcance Dinâmico, que é uma tecnologia que melhora o contraste, o brilho e as cores da imagem, tornando-a mais próxima da realidade. O HDR é especialmente útil para conteúdos em 4K, que exigem mais detalhes e nuances. Para aproveitar o HDR, é preciso que a TV, o conteúdo e o dispositivo de reprodução sejam compatíveis com essa tecnologia.
  • Controle remoto inteligente: é um tipo de controle remoto que permite controlar a TV por meio de comandos de voz, gestos ou movimentos. O controle remoto inteligente também pode funcionar como um mouse, facilitando a navegação pelos aplicativos e menus da TV. Além disso, o controle remoto inteligente pode se conectar com outros dispositivos inteligentes da casa, como lâmpadas, câmeras, termostatos, entre outros.
  • Modo ambiente: é um recurso que permite que a TV se adapte ao ambiente em que está instalada, mudando a cor, o brilho e o som da tela. O modo ambiente pode ser usado para criar um clima mais aconchegante, para exibir fotos, obras de arte ou informações úteis, ou para economizar energia, desligando a tela quando não há ninguém por perto.
  • Som imersivo: é um recurso que proporciona uma sensação de envolvimento sonoro, criando uma atmosfera mais realista e emocionante. O som imersivo pode ser obtido por meio de tecnologias como Dolby Atmos, DTS:X, entre outras, que usam múltiplos canais de áudio para distribuir o som em diferentes direções. Para aproveitar o som imersivo, é preciso que a TV, o conteúdo e o sistema de som sejam compatíveis com essa tecnologia.

As principais marcas de TV no mercado

Depois de conhecer os principais critérios para escolher uma TV nova, você pode se perguntar quais são as melhores marcas de TV disponíveis no mercado. A resposta pode variar de acordo com as suas preferências, mas há algumas marcas que se destacam pela sua qualidade, inovação e reputação.

Entre elas, podemos citar a Samsung, a LG, a Sony, a Philips, a TCL e a Philco. Essas marcas oferecem uma variedade de modelos, com diferentes tamanhos, resoluções, tipos de tela, conectividades, sistemas operacionais e recursos extras. Além disso, elas têm uma boa avaliação dos consumidores e um bom atendimento pós-venda.

Conclusão

Comprar uma TV nova pode ser uma tarefa complexa, mas também muito gratificante, se você souber escolher o modelo que melhor atende às suas necessidades e expectativas. Para isso, é preciso levar em consideração diversos fatores, como o tipo de uso, o tamanho da tela, a resolução da imagem, o tipo de tela, a conectividade, o sistema operacional e os recursos extras. Assim, você poderá desfrutar de uma TV de qualidade, com tecnologias avançadas e preços acessíveis.

COMENTÁRIOS
Share.

Sócio proprietário e fundador do Mais Minas e jornalista em formação pela Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB). Redator de cidades, tecnologia e política, além de link builder.