O que você procura?


Vereador mostra água com fragmentos semelhantes a fezes, distribuída no bairro Padre Faria, em Ouro Preto

Rômulo Soares 23 de setembro de 2021 às 13:14
Tempo de leitura
6 min
Foto: Reprodução/CMOP
Foto: Reprodução/CMOP

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga a concessão dos serviços de tratamento de esgoto e abastecimento de água em Ouro Preto teve duas reuniões na tarde desta quarta-feira, 22 de setembro. No entanto, apresentando justificativa, nenhum dos depoentes compareceram ao Plenário.

O primeiro depoente Flávio Luiz da Silva, proprietário do Portal Transporte LMTDA em Ouro Preto, apresentou um atestado médico da UPA Dom Orione, assinado pelo médico Clóvis Brum de Paula Junior, com carimbo, confirmando uma consulta nessa terça-feira, 21 de setembro, por volta das 11h. Flávio recebeu três dias de descanso por motivos de saúde.

Já o segundo depoente, Simão da Cunha Pereira Filho, ex-diretor executivo do Instituto de Desenvolvimento (IBD), apresentou uma justificativa dizendo que não teve tempo hábil para se reorganizar profissionalmente para estar presente na CPI e que está fora de Minas Gerais no momento a trabalho. Leia a carta:

“Prezados membros da Comissão Parlamentar de Inquérito,
Simão da Cunha Pereira Filho, brasileiro, casado, advogado, em atenção e respeito à intimação enviada por está Comissão Parlamentar de Inquérito, venho a presença de vossas senhorias informar e requerer o que segue.

Foi expedido a intimação para que o e intimado Simão da Cunha Pereira Filho, ex-diretor executivo do IBD Instituto Brasileiro de Desenvolvimento, comparecesse nesta casa municipal ouro-pretana a fim de prestar depoimento como testemunha do PIP 01/2021 na data de 22/9/2021 às 16h. A referida intimação foi entregue no local de trabalho do intimado no dia 17/9, sexta-feira, por volta das 17h30, quando já não estava mais no escritório. O que foi informado pela recepcionista senhora Maria Clara, responsável pela entrega do documento, somente na data de hoje (segunda-feira), é que o intimado recebeu o referido documento, além de já ter recebido mensagem através de correio eletrônico o que foi também verificado na data de hoje já que a mensagem estava na suposta pasta de spam.

Assim, o intimado não tomou conhecimento da convocação em tempo hábil para que organize seus compromissos de trabalho e locomoção visto que, além de não possuir veículo próprio para se deslocar até a cidade de Ouro Preto. Informo que, conforme a passagem em anexo, estará fora do Estado de Minas Gerais, em Carajás, pelos próximos 30 dias, retornando apenas no dia 22/10 a Belo Horizonte, viagem esta por motivo profissional e previamente agendada.

Dessa forma, levando o elevado respeito, se coloca em inteiro a despor dessa casa requerendo agendamento de nova data a fim de contribuir de alguma forma, se possível, prestando o seu depoimento, além de tentar sanar eventuais dúvidas necessárias quanto ao objeto desta CPI. Em tempo, requer que as futuras comunicações sejam encaminhadas para o endereço eletrônico pessoal do requerente. Mais uma vez, reitero os votos de elevado respeito, o requerente se coloca à disposição para contribuir a CPI.”

Em anexo, Simão enviou os comprovantes dos bilhetes eletrônicos comprovando a sua viagem a Carajás, onde ficará pelos próximos 30 dias.

Portanto, foi feito uma nova convocação aos depoentes para a próxima segunda-feira, 27 de setembro. Às 13h Flávio será ouvido como testemunha e às 16h um outro representante do IBD irá depor.

Amostra da água

Com a falta dos depoentes, o que mais chamou a atenção na CPI nesta quarta-feira foi a apresentação de uma amostra da água de uma caixa d’água do bairro Padre Faria, que foi lavada há cerca de dois meses de acordo com o morador.

A amostra foi coletada nessa terça-feira, 21 de setembro, em uma caixa d’água da rua Padre Faria, nº 295, no bairro Padre Faria, na residência do morador Antônio José Ferreira.

O vereador Wanderley Kuruzu (PT) apresentou uma amostra da água com alguns fragmentos sólidos de coloração marrom colhidas da caixa de água de um morador do Padre Faria, chamado Antônio. Segundo o membro do poder Legislativo de Ouro Preto, os moradores do bairro disseram que tais coliformes se assemelham com fezes

A CPI pediu uma análise técnica da água, solicitando profissionais da área e a colaboração dos pesquisadores do Instituto Federal de Minas Gerais Campus Ouro Preto (IFMG). O presidente da comissão, vereador Matheus Pacheco (PV) relembrou uma manchete que foi destaque do portal Mais Minas, em que o ex-prefeito da cidade, Júlio Pimenta, em sua oitiva, disse que a Saneouro será o seu maior legado no município. “Disseram semana passada que isso era um legado”, disse.

Em seguida, o vereador Naércio França (Republicanos) se mostrou indignado com a amostra da água, provocando o ex-prefeito Júlio Pimenta e chamando o superintendente da Saneouro, Cléber Salvi, de despreparado.

“Tenho certeza que o ex-prefeito Júlio Pimenta não está consumindo essa água porca e suja que o povo está consumindo. Nem o senhor Cleber Salvi que é despreparado, incompetente e desconectado, porque isso aqui é prova, não estamos inventando historinha para o boi dormir não. Esse é o legado que o ex-prefeito Júlio Pimenta deixa para o povo de Ouro Preto, já era para ter resolvido esses problemas e eles são recorrentes. Isso é indigno e desrespeito ao nosso povo”, disse Naércio.

No relatório de qualidade da água de Ouro Preto de 2020, feito pela Saneouro, houve apenas quatro amostras fora do padrão no quesito coliforme em dezembro do ano passado. Confira o relatório completo aqui.

A Saneouro disse que fez um levantamento nos canais de atendimento e não encontrou qualquer reclamação sobre a qualidade da água tratada que abastece o bairro Padre Faria. “Nossa equipe de Controle de Qualidade coletou e analisou diversas amostras de água ao longo da rua Padre Faria e todas estavam dentro do padrão de qualidade definido pelo Ministério da Saúde”, afirmou a companhia em nota.

De acordo com a Saneouro, a empresa já investiu mais de R$ 20 milhões na modernização do sistema de abastecimento e no controle da qualidade da água tratada de Ouro Preto. Ainda segundo a companhia, serão investidos mais R$ 10 milhões ainda este ano.

Última atualização em 27 de setembro de 2021 às 13:35