Por Marcelo Miranda e Luz Comunicação – Inteligência artificial, Lei Paulo Gustavo, argumento cinematográfico, memória sonora, marketing digital e cinema comunitário são alguns dos diversos temas das oficinas, workshops e masterclasses que serão realizados durante a 18ª CineOP – Mostra de Cinema de Ouro Preto que vai acontecer na cidade histórica, de 21 a 26 de junho. Além de debates, encontros e diálogos, o evento vai promover seis oficinas, dois workshops e quatro masterclasses gratuitos com o intuito de investir na formação através de um programa de qualificação. Os interessados podem se inscrever até o dia 12 de junho (segunda-feira), às 23h59, pelo site cineop.com.br

A 18ª CineOP – Mostra de Cinema de Ouro Preto é a única no circuito de mostras e festivais audiovisuais a tratar o cinema como patrimônio e estruturar sua programação em três temáticas – Preservação, História e Educação. “O programa de formação vai ao encontro da essência da Mostra ao gerar conhecimento, conexões e partilhas que são importantes para a ampliação de uma rede de pessoas que valorizam e cuidam do nosso patrimônio audiovisual. Outra vertente fundamental do programa é a formação de novos talentos e a qualificação profissional que refletem no crescimento da indústria audiovisual do país”, explica Raquel Hallak, diretora da Universo Produção e coordenadora da CineOP.

Ao todo serão oferecidas 285 vagas para as atividades que contam com instrutores, mediadores e convidados referência em suas respectivas áreas de atuação. Dentre ele estão o professor de Inteligência Artificial e Humanidades da Universidade de Amsterdã, Tobias Blanke; a cineasta e fotógrafa equatoriana, Alexandra Cuesta, e educadora popular e facilitadora pedagógica colombiana, Carolina Dorado Lozano.

OFICINAS

Os mineiros Júlia Nogueira e Guilherme Fiúza Zenha ministrarão a primeira oficina desta edição da CineOP: “Elaboração de Projetos Audiovisuais para Lei Paulo Gustavo”, que será realizada de 22 a 25 de junho, de quintaa domingo, das 14h às 18h. O objetivo da oficina é ensinar sobre a formatação e fundamentos para elaboração de projetos audiovisuais, nas categorias Ficção, Animação e Documentário, direcionados à inscrição nos editais da Lei Paulo Gustavo. Com extenso conhecimento técnico, Júlia Nogueira e Guilherme Fiuza Zenha são autores do Guia de Elaboração de Projetos Audiovisuais. Júlia produziu as séries expedições Burle Marx, Inhotim Arte Presente,  Minha Família, Coisas daqui, Passagens da independência e coproduziu Maria do Caritó, Predestinado e Derrapada. Guilherme dirigiu o longa O Menino no Espelho e as séries Cientistas Brasileiros e Minha Família é, e o longa de animação Chefe Jack. Atualmente dirige a série em animação Cosmo – o Cosmonauta. São oferecidas 20 vagas para esta atividade para pessoas a partir de 18 anos.

O audiovisual vive um tempo com novos horizontes tecnológicos e mercadológicos e diferentes formatos. O fenômeno do youtube e do empreendedorismo digital que cresce assim como a criatividade e as inovações artísticas são evidências deste tempo. Partindo dessa premissa, a Mostra oferece a oficina “Realização audiovisual”, ministrada por Sérgio RossiniI (RJ), de 23 a 25 de junhosexta a domingo, das 9h30 às 13h30. Sérgio Rossini trabalha há 25 anos com Marco Altberg na Indiana Produções e há cinco anos conduz a Espiritualidarte Produções.  Realizou como diretor os curtas de ficção “Encontro Marcado” (melhor filme na VI Expocom 2002) e “TPM: Tensão Pré Matrimonial” (melhor trilha no Cine Guarnice do Maranhão 2003), o documentário “Em Nome do Divino” (2004) e os documentários de longa metragem “Umbanda do Sol e da Lua” (2013/Mostra Cinema de Santo), “Salve a Malandragem” (Cine Brasil TV) e “Arte e Espiritualidade” (Youtube). São oferecidas 30 vagas para esta atividade para pessoas a partir de 18 anos.

Argumento Cinematográfico” é o tema da oficina prática que será ministrada por Fidelys Fraga (RJ) com o objetivo de tornar os participantes aptos para construir o enredo de seu filme, mapear os pontos da estrutura e desenvolver os beats. A atividade vai acontecer de 23 a 25 de junhosexta a domingo, das 9h30 às 13h30. Mestrando em cinema pela Universidade Federal Fluminense, Fidelys Fraga escreveu as séries Baile de Máscaras (AXN) Roda de Choro (Curta!) e Fronteiras Fluidas (Curta!). É consultor do Laboratório do Festival Rota-RJ desde sua primeira edição. Também foi consultor do Festival Primeiro Plano-MG (2022) e curador do Sesc Argumenta (2018-2019. Como professor de roteiro atuou em diversas instituições, como Polo Educacional SESC (2020-2022); Sesc Copacabana (2018) e Caixa Cultural Curitiba (2016). São oferecidas 20 vagas para esta atividade para pessoas a partir de 18 anos.

Estimular a criatividade através de exemplos práticos e transmitir os conhecimentos teóricos de interessados por filmes de arquivo é o intuito da oficina “Restaurando a Memória Sonora”. A atividade, ministrada por Alexandre Jardim (RJ), vai acontecer de 22 a 23 de junho, das 14h às 17h.Graduado em Produção Fonográficae pós-graduado em Linguagem de Cinema e Audiovisual, Alexandre Jardim possui vasta experiência em mixagem, edição de som e restauração de som. Começou a carreira em 1984, nos estúdios da Rob Filmes, trabalhando com áudio para cinema. Trabalhou com áudio na TVE Rio de Janeiro de 1987 a 2000. De 2000 até a presente data atua na área de Mixagem de som para cinema no CTAv, (Centro Técnico Audiovisual) do Ministério da Cultura. Na instituição já mixou mais de 60 longas-metragens. São oferecidas 30 vagas para esta atividade para pessoas a partir de 18 anos.

WORKSHOPS

Nesta edição, a CineOP vai oferecer dois workshops. Um deles é o “Navegando por Arquivos e Acervos – Introdução à Pesquisa Audiovisual”, ministrado pela pesquisadora Eloá Chouzal (RJ), que buscadifundir a importância e o papel da pesquisa audiovisual (som e imagem) para os mais diversos projetos culturais. A atividade também vai apresentar o histórico, o conteúdo e as ferramentas de acesso à pesquisa dos principais arquivos brasileiros. A oficina vai acontecer no dia 23 de junho, sexta-feira, das 14h30 às 17h30, com 30 vagas disponíveis. Historiadora e pesquisadora audiovisual, Eloá Chouzal trabalha há mais de 30 anos com produção de conteúdo, pesquisa audiovisual, iconográfica e de personagens em projetos culturais como museus, exposições, livros, séries, documentários e filmes de ficção no Brasil e no exterior. Realizou pesquisas para realizadores como Andrea Tonacci, Carlos Nader, Fernando Meirelles, Hector Babenco e outros.

Outro workshop da programação é “Marketing Digital: o uso das redes sociais na estratégia de marketing”, que vai acontecer no dia 23 de junho, sexta-feira, 10h às 13h, com 35 vagas disponíveis. Ministrado por Aline Costa (MG), a atividade pretende proporcionar aos participantes ferramentas estratégicas de marketing nas redes sociais Conteúdo pragmático. Aline Costa é mestre em Administração de Empresas, Professional & Leader Coach, Pós-graduada em Gerenciamento de Projetos, Marketing, Marketing Digital e Gestão Estratégica de Pessoas. É instrutora de cursos de Qualificação Profissional há 12 anos, com expertise em Desenvolvimento Organizacional e Humano, habilidades em Treinamento e Desenvolvimento, Jogos de Empresas, Marketing e Comunicação e Finanças. Atua ainda como consultora de carreira, coach, docente e palestrante do Senac/Minas.

MASTERCLASSES

Nesta edição serão promovidas quatro masterclasses, sendo três delas internacionais ministradas por convidados da Holanda, Colômbia e Equador. As inscrições são gratuitas.

A primeira masterclass internacional da programação tem como convidado o professor de Inteligência Artificial e Humanidades da Universidade de Amsterdã, Tobias Blanke, que abre a programação de masterclasses na quarta-feira, 21 de junho, às 10h. “Inteligência Artificial em Arquivos Históricos – Entre Automação e Crescimento” é o assunto que será discutido por Blanke que concentra seus interesses em inteligência artificial e dispositivos de big data para pesquisa, particularmente nas ciências humanas. Ele também publicou extensivamente sobre questões éticas de Inteligência Artificial. Tem uma pesquisa/apresentação intitulada “IA em arquivos históricos – Entre automação e crescimento”. Esta masterclass será online com mediação de Vitor Graize, curador da Temática Preservação. Para esta atividade, não será emitido certificado e não é necessário se inscrever.

Inteligência digital: arte e pedagogias, riscos e possibilidades”, é o tema quea artista e professora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAUUSP), Giselle Beiguelman, vai apresentar no sábado, 24 de junho, das 14h30 às 16h30. Com 60 vagas disponíveis, a atividade vai discutir quais são algumas das novas formas de relacionar o audiovisual e o pedagógico no mundo digital, e os entrelaçamentos entre arte e pedagogia em temos de educação digital com mediação de Adriana Fresquet, curadora da Temática Educação da 18ª CineOP. A convidada, Giselle Beiguelman, pesquisa arte e ativismo na cidade em rede e as estéticas da memória na contemporaneidade. É autora de vários livros e suas obras artísticas integram acervos de museus no Brasil e no exterior, como ZKM (Alemanha), Jewish Museum Berlin, MAC-USP e Pinacoteca de São Paulo.

educadora popular e facilitadora pedagógica colombiana, Carolina Dorado Lozano, apresenta a segunda masterclass internacional com a discussão do “Cinema Comunitário e Educação Popular na América Latina”. A masterclass vai propor questionamentos como qual a interface entre o cinema comunitário contemporâneo e as pedagogias das imagens? Como a experiência coletiva com o cinema pode deslocar a experiência da educação nos dias atuais? Em que medida essa experiência pode ser aproximada da educação popular? A convidada, Carolina Dorado Lozano, tem uma vasta experiência na criação, gestão, coordenação e execução de projetos de intervenção social comunitária, notadamente na elaboração de projetos de produção audiovisual. A mediação será da educadora audiovisual da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Maíra Norton. Atividade será na quinta-feira, 22 de junho, das 14h às 17h, com 30 vagas e  tradução simultânea – Português/Espanhol/Português

Alexandra Cuesta, cineasta e fotógrafa do Equador, encerra a programação de masterclasses internacionais. Em sua aula, com o tema “Filmar Territórios: Deslocar-Se”, a cineasta vai falar de sua obra que envolve uma série de deslocamentos espaciais realizados por meio de observação e escuta de territórios distintos nas Américas. Seus filmes e vídeos poéticos combinam tradições cinematográficas experimentais com práticas documentais e frequentemente comentam sobre diásporas sociais. Seu trabalho foi exibido no The New York Film Festival, Fronteira Festival, Guggenheim Museum, MOCA Museum of Contemporary Art, Viennale, Palacio Nacional de Bellas Artes, Oberhausen, FiD Marseille, Anthology Film Archives, entre outros. A masterclass, que conta com 30 vagas e terá tradução simultânea (Português/Espanhol/Português), será na domingo, 25 de junho, das 14h às 17h, com mediação de Débora Nakache, coordenadora da Rede Kino de Buenos Aires.

SOBRE A 18a CINEOP

Durante seis dias de evento, o público terá oportunidade de vivenciar um conteúdo inédito, descobrir novas tendências, assistir aos filmes, curtir atrações artísticas, trocar experiências com importantes nomes da cena cultural, do audiovisual, da preservação e da educação, participar do programa de formação e debates temáticos de forma gratuita.

  • ABERTURA OFICIAL
  • EXIBIÇÃO DE FILMES – LONGAS, MÉDIAS E CURTAS
  • PRÉ-ESTREIAS E MOSTRAS TEMÁTICAS
  • HOMENAGEM
  • MOSTRINHA
  • MOSTRA VALORES
  • SESSÕES CINE-ESCOLA
  • 18o ENCONTRO NACIONAL DE ARQUIVOS E ACERVOS AUDIOVISUAIS BRASILEIROS
  • ENCONTRO DA EDUCAÇÃO: XV FÓRUM DA REDE KINO
  • DEBATES, DIÁLOGOS E RODAS DE CONVERSA
  • OFICINAS
  • MASTERCLASSES INTERNACIONAIS
  • PERFORMANCE AUDIOVISUAL
  • EXPOSIÇÃO
  • LANÇAMENTO DE LIVROS
  • CORTEJO DA ARTE
  • SHOWS

COMENTÁRIOS
Share.

Perfil publicador de releases e guest posts, sem autoria própria. Consulte a fonte ao final das matérias/artigos.