5 dicas para melhorar sua saúde financeira pessoal

Por

Organizar os gastos tem sido uma tarefa um pouco árdua para aproximadamente 62% dos brasileiros. Uma recente pesquisa divulgada pela Serasa Experian demonstrou que este percentual de brasileiros sentiram que, ao menos uma vez durante o ano de 2017, seus gastos superaram os seus ganhos. O estudo também levantou que, apesar do fácil acesso à informação e de saber quais são os passos para organizar sua vida financeira, o brasileiro ainda apresenta problemas para organizar suas despesas e para guardar dinheiro.

O levantamento concluiu que mais de 61 milhões de brasileiros estavam com dívidas em atraso no mês de novembro de 2017, o que configura um recorde histórico segundo o órgão. Mas, afinal, como conseguir sair dessa situação e melhorar a saúde financeira? Reunimos abaixo cinco dicas que podem ajudar a replanejar os custos e ter uma vida financeira mais tranquila.

1) Controle é essencial

Antes de mais nada, é preciso organizar todos os gastos para entender em quais ocasiões o dinheiro é gasto, e onde é possível cortar ou replanejar as despesas. Para quem nunca fez isso, a dica é anotar todos os gastos durante um mês inteiro – incluindo desde o pãozinho da padaria, a passagem de ônibus, o cafezinho, até os gastos maiores como aluguel ou parcelas da casa própria. Vale também guardar todos os cupons fiscais e canhotos de cartões de débito e crédito, e, ao final do mês, reunir todo esse material e mapear como o dinheiro anda sendo gasto, identificando quais são os seus padrões de consumo.

2) Planejamento

Com o controle dos gastos fixos mensais em mãos, é possível elaborar um planejamento detalhado das despesas, identificando quanto é possível poupar por mês – aplicando em um fundo como a poupança, por exemplo – e também quanto pode ser gasto em novas despesas, como a compra de algum bem. É preciso também separar um valor mensal para gastos cotidianos que nem sempre são planejados com antecedência, como um passeio, a compra de um presente, de um calçado, despesas médicas, entre outros.

3) Cuidado com a fatura do cartão

O cartão de crédito deve ser utilizado com muito cuidado e atenção. Evite pagar o mínimo da fatura ou mesmo reparcelar, pois os juros são muito altos e podem transformar a dívida em uma imensa bola de neve. Se bem utilizado, o cartão pode ser uma ótima saída para a compra de itens de valor mais alto ou para o pagamento de viagens e cursos, por exemplo. Esteja sempre atento!

4) Use o empréstimo pessoal a seu favor

O empréstimo pessoal pode ser uma excelente saída para quem tem diversas dívidas e encontra dificuldade para pagar todas em dia. Busque a negociação de todas as dívidas e, com o valor de todas em mãos, você pode simular empréstimo considerando o montante total. Com isso, o controle fica mais fácil e as chances de se enrolar na hora de pagar são muito menores, pois você terá apenas uma dívida ao invés de várias. Porém, fique atento: o valor da parcela deve caber no seu orçamento, evitando que uma nova dívida difícil de pagar seja criada.

5) Aposte na tecnologia

Não faltam, hoje em dia, aplicativos e plataformas online que ajudam a organizar a vida financeira. De fácil entendimento e bastante intuitivos, os aplicativos podem ser instalados nos smartphones e permitir a visualização em tempo real das condições da conta corrente, dos investimentos, das despesas, além de mostrar como seu dinheiro está sendo gasto e o que pode ser feito para organizar a vida financeira.

Leia também: 7 dicas para controlar as finanças e sair do vermelho

Postado em 31 de agosto de 2018