Copa do Mundo FemininaFutebolOlhar EsportivoSeleção Brasileira

8 ou 80! Oba-oba e Críticas!

A Copa do Mundo de Futebol Feminino, que acontece neste momento na França, é sem duvida a de maior repercussão, organização e cobertura da historia. Ela acontece em um momento onde o futebol feminino é muito mais atrativo e competitivo do que outrora, as seleções evoluíram bastante naqueles que eram apontados como motivos para que o futebol feminino não fosse acompanhado, como a parte tática e a organização dentro de campo, por exemplo.

A seleção brasileira não tem a obrigação de vencer este mundial, como não tinha nas edições anteriores, nem nas olimpíadas ou qualquer outro torneio que envolva o futebol feminino, tendo em vista a falta de apoio, estrutura, planejamento e investimento que este segmento possui em nosso país, que já foi muito pior, e se chegou perto disso alguma vez, e foram várias, foi exclusivamente mérito do talento e habilidade de nossas meninas que com muita garra e na marra conseguiram e conseguem superar as inúmeras adversidades que encontraram e encontram pelo caminho.

Mas infelizmente em nosso país o conhecimento destes fatores importantíssimos contrários, que não são poucos e é de conhecimento de todo mundo, não foram e não são suficientes para evitar pesadas e exageradas criticas aos insucessos ocorridos, embora eu considere que estar no patamar que a nossa seleção feminina se encontra já é um baita sucesso (é considerada uma das melhores seleções do mundo, medalhista olímpica, vice-campeã mundial em 2007 e possui a muitas vezes eleita melhor jogadora do mundo), mesmo com todos os fatores já citados anteriormente jogando contra.

Títulos como o de “pipoqueiras” e “fracassadas”, entre outros, são dados às nossas jogadoras por muitos ao dizerem que as mesmas na “hora H” não aguentam a pressão e que só vencem quando não está valendo, o que acho muito errado e injusto.

Por outro lado basta que a seleção vença um jogo, como fez na estreia contra a Jamaica, tendo uma boa atuação, mesmo que o adversário não seja dos mais fortes, para que o “oba-oba” exagerado  comece e junto dele as enxurradas de elogios, a exaltação da mesma em detrimento da masculina ou de algumas peças da mesma, tudo vira uma grande festa e isto também está errado e pode acabar sendo nocivo, pois acarreta em um aumento de expectativa  e consequentemente de uma possível frustração, pode inclusive prejudicar as próprias meninas deixando-as deslumbradas e perdendo assim o foco e a concentração.

Ambas deviam ser moderadas, as críticas e a bajulação, mas por aqui não sabemos fazer isto, o que atrapalha, e muito, a nossa evolução. Por aqui é sempre 8 ou 80!

Deixe seu comentário

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
Fechar