A arte de escrever: 4 dicas de ouro para escritores iniciantes

Nesse sábado (25), comemorou-se o Dia do Escritor, uma das profissões mais antigas e simbólicas. Escrever é uma arte ao alcance da cada um de nós. Como disse Pablo Neruda “escrever é fácil: você começa com uma letra maiúscula e termina com um ponto final; no meio você coloca ideias”.

A profissão do autor é particularmente adequada para os altamente sensíveis. Suas habilidades precisas de observação e pensamento aprofundado dão origem a textos de qualidade, que chegam ao fundo e examinam tudo de ângulos diferentes. Escrever por si só traz muitos benefícios. Você pode simplesmente desmoronar na frente do seu PC e dizer que não quer ser incomodado. É simplesmente maravilhoso se você pode canalizar seus pontos fortes e necessidades em uma atividade significativa. Ao escrever, você dá ao mundo algo muito pessoal de você, pode deixar sua própria impressão digital e fazer algo positivo para o todo.

Você quer ser um escritor? Você sonha em escrever seu próprio livro? Se as suas respostas foram “sim” para as duas perguntas, confira quatro dicas de ouro para escritores iniciantes.

1 – Acredite no seu sonho e comece a escrever

Não importa como e onde você mora, você pode começar a escrever imediatamente. Acredite em sua visão. A mágica da escrita está dentro de você. Apenas comece. Todo autor começou a escrever em algum momento. É importante implementar seu plano. Leve o desejo do seu coração a sério. Se você contar aos outros sobre o seu sonho, nem sempre encontrará respostas encorajadoras. Muitos dirão que “isso não dá dinheiro”. Eles avaliam cada atividade de acordo com a sua importância financeira. Porém, como dizem os filósofos, dinheiro não traz felicidade e nem paz.

2 – Crie uma estrutura para si mesmo antes de escrever

Quanto mais claro você estiver sobre como deve ser a estrutura do seu livro, mais fácil será escrever os capítulos. Se você definiu sua rota de antemão, pode se permitir mergulhar nas profundezas do seu subconsciente e obter inspiração a partir daí. No entanto, se você flutuar completamente desorientado como uma casca de noz na água, nunca saberá ao certo se o seu texto o levará a algum lugar. Pegue três de seus livros favoritos e primeiro estude como os índices estão estruturados lá. Enquanto isso, analisei dezenas de índices. Best-sellers, por exemplo, sempre têm conteúdo claro. Mantenha-se simples. Escreva como se fosse fosse o leitor. Defina para onde vai a jornada do seu livro. Não é ruim se você não souber tudo em detalhes, mas a estrutura grande deve permanecer como um esqueleto e apoiar o seu texto. Isso lhe dará segurança e orientação ao escrever. Decida quais pontos focais o livro conterá. Você nunca pode escrever “tudo” em um tópico de um livro.

3 – Analise seus livros favoritos

Fique na frente da sua estante e retire seus três livros favoritos. Veja seus favoritos. O que exatamente o cativou no estilo de escrever? Como a autora conseguiu tocar seu coração com o texto dela? Como o leitor é abordado lá? O que torna este livro especial? Aprenda com os profissionais! Você não precisa de treinamento para fazer isso, apenas boas habilidades de observação. Olhe para o seu top 3 pessoal e veja qual livro é um best-seller. Os livros não se tornam um sucesso por acidente. Cada escritor usa um certo repertório de técnicas e métodos que cativam os leitores ao escrever. Por exemplo, um dos meus livros favoritos é “O Jardim Secreto”, de Frances Hodgson Burnett. Quando olhei ele mais de perto, percebi que estava fascinado por seu estilo de escrita pessoal, uma vez que a autora mostra a relação das crianças de personalidades diferentes que se descobrem, se aceitam e se relacionam com a natureza. Isso torna a obra acessível e tangível. Nossos modelos nos mostram como podemos nos escrever melhor. Porque os livros com os quais temos mais ressonância têm uma conexão especial conosco. Faça seus autores favoritos seus mentores agora. Os segredos são revelados. Você só precisa dar uma olhada nos livros de seus modelos.

4 – Seja autêntico ao escrever, desperte emoções no leitor

Quanto mais você permitir que seu texto flua do seu coração, mais alcançará os leitores. Permita-se encontrar sua própria voz cada vez mais, sua própria opinião. Se você deixar seu coração de lado ao escrever, não causará nenhum entusiasmo no leitor. Não haverá lágrimas nem toque. Mas é exatamente isso que faz um livro ser bem-sucedido: sentimentos! Portanto, acostume-se a deixar seu coração falar e despertar sentimentos no leitor. Pode ser alegria, tristeza, leveza, consternação, curiosidade. Isso não importa. Mas sem nenhum sentimento, seu texto será lido como se fosse um manual seco para uma torradeira.

Comentários