Ultimate magazine theme for WordPress.

A outra banda da Lua lança o primeiro single de seu novo disco

Para falar sobre o clipe de “Lua”, a regional-psicodélica música que o quinteto mineiro A outra banda da Lua escolheu para dar as caras em seu trabalho de estreia – a ser lançado nos primeiros raios de 2020 pelo selo Under Discos – é preciso retornar algumas décadas e voltar pro seu local de origem: Montes Claros, norte de Minas Gerais. Herdeiros musicais de coletivos norte-mineiros como Grupo Agreste e Grupo Raízes, bandas que nos anos 70 fizeram certo barulho no combalido mercado fonográfico mineiro, chegando às ondas de AM/FM fora dos limites de Minas Gerais, A Outra Banda da Lua carrega em seu DNA o regionalismo dos anos 70 dos professores em questão e a inquietação dos dias correntes, típicos de uma geração que se recusa a se acomodar, musicalmente ou não.

Capitaneado por Marina Sena – uma das vozes femininas do estouro mineiro Rosa Neon – e ladeado por Matheus Bragança (baixo e voz), Edson Lima (violão, guitarra e backing vocal), Mateus Sizílio (bateria) e André Oliva (guitarra e percussão), A Outra Banda da Lua coloca no ar “Lua”, single audiovisual, dirigido e roteirizado por Vito Soares, figura que assina também todos os videoclipes da banda Rosa Neon..

O videoclipe, preto e branco, que contrasta com o tom pastel, tão característico da região natal da banda, e acena com extraplano territorial, traz Marina Sena em meio à frames de paisagem sertaneja, matéria-prima da banda. E que soa como um prenúncio do que virá em 2020.

“Lua foi a primeira música que eu compus depois que descobri e entendi a beleza de ser o que eu sou. Foi o momento do firmamento. A Outra Banda da Lua apareceu na minha vida como um lugar onde pude experimentar todas as coisas que eu nunca tive oportunidade, com relação a personalidade, estética, etc. Eu pude pirar de verdade. Me mostrou o que era possível e que todas as coisas que eu sempre sonhei eram possíveis. Lua foi uma música que compus especialmente pra banda, demonstrando o que esse momento representava pra mim, enquanto mulher, mulher norte mineira, mulher de Taiobeiras(MG) que não tinha acesso a essa perspectiva tão ampla sobre viver da música, da arte, estar dentro disso de verdade. Lua é sobre o meu amor pela banda mesmo, “nem sei se vou dormir agora que eu descobri o amor” eu realmente estava descobrindo. A Outra Banda da Lua me mostrou o amor e Lua é como se fosse uma cartinha de amor pra banda”, afirma a compositora e vocalista da banda Marina Sena.

O clipe será lançado nesta terça-feira (03/12) às 11h pelo canal do YouTube do grupo. Ainda nesta semana, A Outra  Banda da Lua se apresenta na SIM São Paulo na sexta-feira (06/12) pela Noite Palco Ultra que reunirá nomes de destaque da atual cena mineira como Nath Rodrigues, Luan Nobat e Congadar.

A outra banda da Lua

A cultura brasileira é um grandioso mosaico que se baseia em outras culturas do mundo. A música feita no Brasil, em sua gênese, é universal. Não é de se admirar que A Outra Banda da Lua, de Montes Claros/MG toque uma espécie de música que mescla ritmos e harmonias que se fundiram nos Brasis de mil Áfricas, culturas ameríndia, européia e oriental, formando assim um som universal. Surgida no final de 2015, a banda já recebeu o Prêmio de Música de Minas Gerais mais de uma vez. Além disso, já se apresentou em festivais como FESTIVALE, Encontro cultural de Milho Verde, Festa Nacional do Pequi, Psiu Poético, Festival CHACOALHA, Mostra de Cinema de Tiradentes, Festival de inverno de Brasília de Minas, Festival de Inverno Grão Mogol e Festival ROLÊ. Mais do que alcançar uma atmosfera psicodélica e contemporânea a banda tem em sua diretriz influências da Tropicália, Clube da Esquina, vanguarda paulista, dentre outras. A Outra Banda da Lua se prepara para lançar seu primeiro disco homônimo pelo Selo Under Discos.

Sobre Under Discos

O Selo Under Discos surgiu em 2018, em Belo Horizonte, prolífero pólo da música brasileira, com o objetivo de abrir novos caminhos para a rica e diversa cena de música autoral que movimenta atualmente a capital mineira. A iniciativa, capitaneada pelo produtor musical e empresário do ramo fonográfico, Barral Lima tem como proposta reforçar Belo Horizonte como uma das grandes praças da nova música nacional. Em seu primeiro ano, lançou os discos “Estação Cidade Baixa”, de Nobat, “Dia Verde Escuro” de Leo Moraes e “Coração Disparado”, de Felipe de Oliveira. Em 2019, lançou “Pássaro-Cão”, de Bernardo Bauer, “Retirante” da banda setelagoana Congadar e se prepara para o lançamento da montesclarense A Outra Banda da Lua. Under Discos é uma iniciativa do UN Music, grupo resultante da junção entre as empresas Ultra Music (estúdio e produtora de eventos) e Neutra (produtora de audiovisual e editora de livros). Com 13 anos de atuação no mercado, a UN Music se propõe a ser uma agregadora de soluções musicais no âmbito cultural, artístico e da comunicação, com o objetivo de produzir e promover marcas e artistas por meio de conteúdos em áudio, vídeo, eventos, turnês e muito mais. Ao todo, mais de 500 artistas, consagrados e novos, já passaram pelo estúdio do grupo, dentre eles: Milton Nascimento, Lô Borges, Marku Ribas, Chico Amaral, Toninho Horta, Charles Gavin, Wayne Shorter, Fernanda Takai, John Ulhoa, Beto Guedes, Cláudio Infante e Samuel Rosa.

Comentários do Facebook